Economia

“Mistério”- fábricas de alimentos vem pegando fogo nos EUA

 

 O acidente (queda de monomotor onde morreram duas pessoas) perto da fábrica da General Mills ocorre depois que uma série de fábricas de processamento de alimentos foram incendiadas nos Estados Unidos nos últimos seis meses em meio à disparada dos preços dos alimentos e à inflação histórica. (Compartilhe essa notícia para que mais pessoas saibam).

Em 11 de agosto , a fábrica de processamento de carne Tyson Foods Inc TSN.N no Kansas pegou fogo causando danos significativos. A fábrica foi posteriormente fechada indefinidamente, apesar de fornecer aproximadamente 6% da carne bovina da cadeia de suprimentos dos EUA. Analistas alertaram que o fechamento da instalação afetaria catastroficamente os preços de mercado em todo o país.

Dias depois, em 23 de agosto , a Patak Meat Products, uma processadora de carne no condado de Cobb, na Geórgia, foi incendiada. O encerramento temporário da unidade, uma empresa familiar, teve um impacto mínimo na cadeia alimentar nacional.

Em 13 de setembro , uma terceira fábrica de alimentos foi incendiada. A planta de produção de carne bovina da JBS em Grand Island, Nebraska, que processa 5% da carne bovina do país, ficou em chamas por quase 15 horas. Os bombeiros recorreram ao emprego de dispositivos aéreos e três empresas de motores para isolar o fogo.

Em 22 de fevereiro , a fábrica de processamento de alimentos da Shearer em Hermiston, Oregon, que abastece grande parte do oeste dos Estados Unidos com batatas fritas, foi incendiada.

Uma caldeira a gás natural teria explodido, incendiando a usina e ferindo vários funcionários.

Em 16 de março , uma instalação do Walmart em Indianápolis, Indiana, foi incendiada. A Equipe de Resposta Nacional do Departamento de Álcool, Tabaco, Armas de Fogo e Explosivos está investigando a causa e a origem do incêndio.

Em 11 de abril , um incêndio destruiu a East Conway Beef & Pork. Apenas duas vacas foram mortas. Os bombeiros passaram 16 horas limpando os escombros, relata o Conway Daily Sun. (continua).

Em 13 de abril , um grande incêndio nas instalações de processamento de fazendas Talyor em Salina, Califórnia, foi iniciado, queimando quase 85% do prédio de 225.000 pés quadrados. A empresa agrícola da Califórnia fornece kits de salada em supermercados em todo o país.

Em 15 de abril , a produtora de carne suína norte-americana Smithfield Foods, de propriedade da China, encerrou suas operações em Dakota do Sul. o proprietário bilionário chinês da fábrica,  Wan Long , afirmou que a instalação dos EUA justificava o fechamento em meio às ameaças apresentadas pelo COVID-19.

No início desta semana, em 19 de abril , um incêndio destruiu a sede da Azure Standard, principal fornecedora de alimentos orgânicos e saudáveis ​​do país. A causa do incêndio permanece incerta. (Continua).

O fundador e CEO do Azure Standard, David Stelzer, emitiu um comunicado alertando que o desligamento temporário da produção teria um grande impacto negativo na cadeia de suprimentos.

“Para nossos clientes, três grupos de produtos primários são afetados devido à destruição da instalação automatizada de derramamento de líquidos, instalações de embalagem de frutas e instalações de produtos de alfarroba”, disse Stelzer. “Por causa disso, teremos um status de falta de estoque para óleos, mel e vinagres do Azure Market – basicamente qualquer produto líquido do Azure Market – bem como nossos produtos de alfarroba no curto prazo. Ainda não estamos na colheita de frutas, portanto, nenhum impacto imediato será sentido pela perda de nossa unidade de embalagem de frutas. Nenhum dos produtos que distribuímos para nossos fornecedores será afetado.”

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *