Economia

A QUEDA – brusca de trabalhadores sindicalizados

Por: Antônio Colodetti 

 Após a aprovação da reforma trabalhista em 2017, o número de trabalhadores associados a algum sindicato caiu de forma considerável, cerca de 21,7% desses trabalhadores se desassociaram de seus respectivos sindicatos, esse número corresponde a aproximadamente 2,9 milhões de trabalhadores que, em aproximados 3 anos, cancelaram a adesão com suas respectivas entidades. Esses dados foram divulgados na última quarta-feira (29) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

A reforma trabalhista foi aprovada em julho de 2017, até esse período os trabalhadores que eram ou não sindicalizados, eram obrigados a pagar o famoso “ imposto sindical”, que foi derrubado graças a mudança na legislação.

Houveram algumas quedas no número de trabalhadores sindicalizados mesmo antes da reforma tributária, mas o pico atingido por essa queda ocorreu em 2018, cerca de 1,5 milhão de pessoas cancelaram a associação ao respectivo sindicato naquele ano.

 A gerente de pesquisa do IBGE, Adriana Beringuy avaliou o seguinte:  “ Tudo leva a crer que a queda do número de sindicalizados, se acentuou com a reforma trabalhista”.

Este gráfico que foi feito pelo G1 com os dados divulgados do IBGE, mostra de forma simples o tamanho da queda que houve no número de trabalhadores cancelando sua adesão as respectivas entidades:

 

Em 2019 a taxa de sindicalização estava em 11,2% de acordo com o IBGE, ou seja, mesmo havendo uma suavização da queda de trabalhadores sindicalizados, não quer dizer que deixou de existir uma queda, cada vez mais de forma gradativa os sindicatos estão perdendo associados. Foto de capa: redes sociais. *Radar Geral não se responsabiliza por artigos assinados por não representarem nossa opinião, geralmente.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *