SAÚDE

6 VÍDEOS – Sob ataque, até juíza agora interfere em nomeações de Bolsonaro; candidatíssimo ex-ministro Sérgio presta depoimento hoje; mídia abre todo espaço para lá de suspeitos atingir governo; cachorro testa positivo para coronavírus; saiba porque Suécia é exemplo no combate a “Vírus Chinês” e as principais notícias desse sábado

* Vídeos no final

Juíza suspende nomeação de militar na Funai citando Moraes

   A nova interferência do Poder Judiciário nas nomeações do Executivo pode gerar um efeito cascata na Funai.

 Citando uma liminar recente do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Alexandre de Moraes, a juíza Janete Lima Miguel suspendeu a nomeação do militar de carreira José Magalhães Pinto. (Continua).

 

  Magalhães Pinto havia sido indicado para o posto de coordenador regional da Fundação Nacional do Índio (Funai) em Campo Grande, no Mato Grosso do Sul. (Continua).

 

  A magistrada disse que o caso do coordenador regional “amolda-se justamente à mesma situação” do delegado Alexandre Ramagem, que foi indicado pelo presidente da República, Jair Bolsonaro, para o comando da Polícia Federal (PF). (Continua).

 

  Segundo a revista Veja, a juíza cita inclusive o trecho em que Moraes afirma que o Poder Executivo abre brecha para anulação de uma nomeação pelo poder judiciário “quando o órgão administrativo utiliza-se de seu poder discricionário para atingir fim diverso daquele que a lei fixou, ou seja, quando ao utilizar-se indevidamente dos critérios da conveniência e oportunidade, o agente desvia-se da finalidade de persecução do interesse público”.

Bolsonaro “tem responsabilidade pelas mortes”

@OAntagonistaBotMay 01, 2020

“O presidente tem responsabilidade pelas mortes”, diz O Globo, em editorial sobre a epidemia de Covid-19.

“O bolsonarismo foi para as ruas em campanha contra o isolamento, o que não aconteceria sem a pregação de Bolsonaro. São conhecidas as correlações entre menor isolamento social e mais óbitos”. (*Nenhum presidente do mundo está sendo tão duramente criticado. 17 dias antes do carnaval, Bolsonaro decretou Estado de Emergência alertando prefeitos e governadores a tomarem medidas a serem seguidas para impedir a expansão do vírus . Ignoraram o alerta e fizeram o carnaval onde milhares de turistas assintomáticos vieram e transmitiram a doença para todo o País. O Globo está errado. Cadê a culpa a governadores e prefeitos? Não se vê na grande mídia. Nosso presidente não criou o coronavírus).

 “O Brasil não aguenta mais dois anos e meio de Bolsonaro”

@OAntagonistaBotMay 02, 2020

“O Brasil não aguenta mais dois anos e meio de Bolsonaro”, disse Denis Rosenfield, em entrevista à rádio Gaúcha. “Ele está desmoronando. A não ser que se converta à racionalidade, prendendo os filhos em casa e se livrando dos ministros ideológicos, além dos incompetentes. Assim poderia reconstituir sua base. Pode vir a fazer, à medida que não tem alternativa. Mas não me parece que seu caráter conduza a isso, nem o da sua família.” (Continua).

  De acordo com Denis Rosenfield, o Exército pode limitar Jair Bolsonaro:

“Basta retirar o apoio, numa saída coletiva do governo. Poderia forçá-lo a renunciar ou a dar uma guinada no governo. Se os militares disserem que maluquice tem limite, o presidente ficaria dependurado na família.”

  Lula, sem explicar ainda sobre os mais de R$ 250 milhões na conta de Marisa, conforme inventário,  critica “deboche” de Bolsonaro sobre mortos pela Covid-19

@OAntagonistaBotMay 01, 2020

  No ato “virtual” do 1º de Maio, organizado pelas centrais sindicais para celebrar o Dia do Trabalho, Lula gravou uma mensagem com críticas a Jair Bolsonaro.

Segundo o ex-presidiário condenado, o presidente debochou dos mortos pela Covid-19 no país.

“As grandes tragédias também são reveladoras do verdadeiro caráter das pessoas e das coisas. Não me refiro apenas ao deboche do presidente da República com a memória de mais de cinco mil brasileiros mortos pela Covid-19 [já são mais de 6 mil]. A pandemia deixou o capitalismo nu”, afirmou o petista. (Continua).

  Quem também participou do evento foi FHC (* Citado nas delações da Odebrecht, conforme o G1 em 2017, por receber pagamentos indevidos em campanha e ficou por isso mesmo )  — pela primeira vez em mais de 30 anos, Lula e o tucano estiveram no mesmo ato político, ainda que virtualmente.

“Não é hora de nos desunirmos. É hora de nos juntarmos porque temos que construir um futuro. O futuro tem que ser construído a partir das condições do presente. São negativas, eu sei, mas são as que nós temos”, disse FHC.

 Outra ex-presidente, Dilma Rousseff, também gravou uma mensagem. Segundo ela, os brasileiros que morreram infectados pelo novo coronavírus são “vítimas da negligência e da omissão de um governo liderado pelo mais brutal e desalmado chefe de estado entre todas as nações do planeta”. “Irresponsavelmente, Jair Bolsonaro desdenha da doença, zomba dos mortos e avilta a cadeira de Presidente da República”, afirmou, a ex-presidente que levou, junto com Lula a pior recessão da história do País.

Também participaram do ato das centrais nomes como Ciro Gomes, Marina Silva, Flávio Dino e Fernando Haddad. (*Esses dispensam comentários).

Rodrigo Maia e Davi Alcolumbre, segundo a organização do evento, não enviaram seus vídeos. Os governadores do Rio, Wilson Witzel, e do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, encaminharam suas mensagens — mas elas não foram exibidas.

 

 “O transtorno de Bolsonaro”, diz ex-ministro de FHC e militante do PSDB

@OAntagonistaBotMay 02, 2020

 Jair Bolsonaro, segundo Miguel Reale Jr (*militante do PSDB e ex-ministro de FHC – WIKIPÉDIA)  deve ser interditado:

“Já opinei ser a interdição um caminho eventual para Bolsonaro. Não estava a fazer blague. As atitudes habituais permitem supor possível transtorno de personalidade (…). (Continua).

 

 Atentemos para o comportamento reiterado de Bolsonaro, ao longo do tempo, em favor de situações que geram dor, em apoio a manifestações pelo fechamento do Congresso e do STF, chegando a agir, como presidente, para não se apurar devidamente a organização do ato de domingo 19 de abril; em campanha contra o isolamento social, única medida possível para reduzir mortes; usando a trágica expressão, ‘e daí?’ acerca do aumento do número de mortes; no gosto pelo aplauso popular, pois, no domingo 15 de março, ao ser ovacionado em frente ao Planalto falou: ‘Isso não tem preço’. (Continua).

   São esses os sinais indicativos de possível enquadramento nas categorias psiquiátricas acima lembradas, o que cumpre ser verificado por experts em medida adotada em defesa do País.”

 

Barroso,indicado ao STF por Dilma Russef e concedeu perdão a Dirceu: “Impeachment não é a primeira opção”

 Em entrevista ao jornal de esquerda o  Estadão, Luís Roberto Barroso foi questionado se, depois das acusações de Sergio Moro sobre Jair Bolsonaro, o Brasil aguentaria mais um processo de impeachment.

O ministro (Foto abaixo)  respondeu: (Continua).

   “Impeachment não é a maneira ordinária de se administrar a decepção nas democracias. A maneira ordinária de se administrar a decepção numa democracia é com eleições. Para que haja um impeachment, é preciso que os fatos sejam graves, demonstrados. Eu, de novo, estou falando em tese. Impeachment não é a primeira opção. É a última opção.” ( *Em 17 de outubro de 2016, concedeu perdão a José Dirceu na pena de 7 anos imposta pelo Mensalão – wikipédia).

 “O bem do País exige que Moro não se cale”, diz jornal de esquerda em seu Editorial

@OAntagonistaBotMay 02, 2020

Sergio Moro tem o dever de denunciar os abusos de Jair Bolsonaro.

Diz o jornal de esquerda o  Estadão, em editorial:

“Diante dos fatos expostos pelo ex-juiz da Lava Jato, é preciso reconhecer que ele não podia se calar. O que Sérgio Moro expôs não foram divergências políticas. Tampouco ele, ao sair do Ministério da Justiça, defendeu ideias e propostas políticas pessoais. Sérgio Moro relatou reiteradas tentativas de interferência política na Polícia Federal (PF) pelo presidente da República. Como dispõe a Lei 8.112/90, é dever do funcionário público “representar contra ilegalidade, omissão ou abuso de poder” (art. 116, XII).

Seria grave atentado contra o interesse público que Sérgio Moro, sabendo o que o presidente da República estava fazendo para interferir na Polícia Federal, saísse do cargo calado, como se não houvesse nada de irregular no governo. A lealdade que se espera e se deve exigir de quem ocupa cargo público é, antes de tudo, com o País e com a lei. A ética do Estado de Direito é muito diferente, por exemplo, da “ética” de organizações mafiosas, que exigem silêncio absoluto de seus membros para que possam se perpetuar na prática do crime (…).

O bem do País exige que Moro não se cale.”

Witzel, acusado por todos os lados de desvios de recursos em tempos de pandemia –  diz que errou ao votar em Bolsonaro: “Irresponsável”

 Em uma mensagem gravada hoje em celebração ao Dia do Trabalho, Wilson Witzel pediu desculpas por ter votado em Jair Bolsonaro nas eleições de 2018.

“Aproveito, neste Primeiro de Maio, para pedir desculpas ao povo. Porque eu errei. Erramos. Escolhemos um presidente que é irresponsável, que não entendeu a responsabilidade do cargo que ocupa”, diz Witzel.

“Ele [Bolsonaro], hoje, só pensa nas eleições de 2022 e não exerce aquilo que esperávamos que ele exercesse, que é governar, fazer as reformas necessárias de que o Brasil precisa.”

MP de Contas pede ao TCU que investigue possível interferência de Bolsonaro no Exército

 O Ministério Público de Contas junto ao TCU pediu ao tribunal que investigue uma possível interferência de Jair Bolsonaro no Exército. Como noticiamos, foram revogadas portarias que definiam regras para o rastreamento de armas e munições. O general de Brigada do Exército Eugênio Pacelli Vieira Mota, responsável pelas portarias revogadas por Bolsonaro, foi exonerado do cargode diretor de fiscalização de produtos controlados uma semana depois da publicação das portarias.

No pedido do MP junto ao TCU, o procurador Lucas Furtado cita possível “desvio de finalidade, caracterizando flagrante e grave violação aos princípios administrativos da impessoalidade e da moralidade”.

O pedido é para que o TCU, por meio de uma medida cautelar, determine que o Comando do Exército restabeleça as portarias ou edite outras “que sejam tão ou mais efetivas que aquelas no controle da fabricação e comercialização de armas e munições”.

 Membro da Comissão  de Ética   Pública da Presidência (que foi denunciado pelo MP por supostas negociações de decisões judicias) denuncia “agenda oculta” e pede transparência 

@OAntagonistaBotMay 01, 2020

 Em uma carta aberta encaminhada aos demais conselheiros da Comissão de Ética Pública da Presidência, Erick Vidigal faz uma série de críticas à presidência do órgão, a acusa de falta de transparência na condução dos trabalhos e afirma que o colegiado vem sofrendo durante o atual governo.

“Nosso orçamento foi reduzido; nossos servidores foram exonerados; tentaram nomear para o colegiado o irmão do ministro que conta com o maior número de procedimentos na comissão; funcionamos com um conselheiro a menos desde setembro de 2019; e a CGU tentou esvaziar nossa competência”, diz Vidigal no texto.

Na carta, o conselheiro fala em uma “agenda oculta” na comissão.

“Os ataques externos são dignos de ser levados ao conhecimento da OCDE, visto que diversos relatórios encaminhados ao referido organismo internacional usam a criação da CEP/PR como ato louvável de combate à corrupção mediante a implementação da transparência. Contudo, uma agenda oculta que se revela internamente também merece preocupação. Todas as minhas iniciativas no sentido de ampliar a transparência dos trabalhos da comissão foram barradas no colegiado”, prossegue o conselheiro.

Vidigal afirma ainda que já fez propostas para que as sessões da comissão fossem abertas, mas não obteve êxito, e também cita “interceptações ilegais” em seu computador no Palácio do Planalto.

“Já propus instauração de processos para apurar diversos deslizes éticos praticados por ministros de Estado. Algumas vezes a presidência [da comissão] ignorou. Algumas vezes sugeriu pedidos de vista. Algumas vezes ponderou para que eu retirasse o pedido. E assim o fiz, na certeza de que, com conversa e foco no bem maior, coisas boas poderiam acontecer. Não aconteceram.”

No documento, Erick Vidigal ainda acusa a presidência da comissão de tentar impedir sua eleição ao cargo — o atual presidente é Paulo Henrique dos Santos Lucon. “É preciso denunciar o que está acontecendo. A sociedade precisa saber o que suas autoridades fazem quando as portas estão fechadas. Sugilo não convive bem com a ideia de República”, afirma. (Continua).

  O conselheiro também cita uma petição subscrita por alguns advogados e juristas que pedia ao colegiado punição a Sergio Moro, ex-ministro da Justiça, que deixou o governo na semana passada. “Após muita pressão, recebi um e-mail da secretaria executiva informando que o conselheiro designado como relator tinha sido o próprio conselheiro Lucon, que atualmente exerce interinamente a presidência do colegiado por falta de presidente eleito, sendo obrigatório registrar que nossa distribuição sequer é feita por sorteio e publicamente.”

Vidigal diz ainda que não se venderá “em troca de um cargo”. “O que sempre propus à comissão foi transparência para a sociedade”, afirma.

No fim da carta, Erick Vidigal anuncia que vai acionar o Ministério Público Federal e o Judiciário na próxima semana para questionar a nomeação do atual presidente — que, segundo ele, não tem “notória experiência em administração pública” — e também para garantir aos conselheiros as “prerrogativas mínimas necessárias” para exercerem seus mandatos “com independência”. (* Vidigal foi denunciado pelo  Ministério Público pela suposta negociação de decisões judiciais feita por Erick Vidigal, no âmbito do Superior Tribunal de Justiça, que favoreceriam o ex-policial e empresário João Arcanjo Ribeiro, o Comendador, e seu contador, Luiz Alberto Dondo Gonçalves. A denúncia foi acatada pelo juiz César Augusto Bearsi, da 3ª Vara Federal de Cuiabá (MT).  A denúncia foi feita pelo jornal de esquerda a Folha de São Paulo em 23 de novembro de 2004).  Segundo a revista também de esquerda Fórum, em 19 de maio de 2016, “Para defender Cunha, Erick Vidigal publicou artigo onde defende que usufruir de paraísos fiscais não é crime e está mais para o exercício de uma legítima defesa contra os abusos estatais”.

Candidatíssimo, o Sérgio

 Sergio Moro “ainda não admite publicamente, mas é candidatíssimo”, diz a Crusoé.

“Desde o anúncio do desembarque do governo, um grupo de pessoas próximas ao ex-ministro já articula o lançamento de um movimento político para defender a biografia dele, rebater os ataques virtuais desferidos agora pelos dois polos ideológicos e arregimentar apoiadores em todo o país com o objetivo de pavimentar uma possível candidatura”.

 Depoimento do “candidatíssimo” Sérgio  também será acompanhado por membros da PGR

  O ex-ministro da Justiça Sergio  vai prestar depoimento, neste sábado (2), à Polícia Federal (PF) e à Procuradoria-Geral da República (PGR).

As declarações de Moro serão colhidas em Curitiba, no Paraná, onde o ex-juiz voltou a morar.

De acordo com o jornal  de esquerda o Estadão, o depoimento de Moro deve ser tomado entre as 11 horas e 14 horas.

Nesta sexta-feira, 1º de maio, o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Celso de Mello, designou três procuradores indicados pelo procurador-geral da República, Augusto Aras, para acompanhar o depoimento.

Moro prometeu apresentar provas sobre a interferência do presidente da República, Jair Bolsonaro, na indicação do delegado Alexandre Ramagem para o cargo de diretor-geral da PF.

Na véspera do depoimento de Moro, Bolsonaro esteve reunido por cerca de três horas com o novo ministro da Justiça e Segurança Pública, André Mendonça, no Palácio da Alvorada, em Brasília.

 Mídia estatal divulga fotos de Kim Jong-un em evento público

 Saúde de ditador norte-coreano vem sendo motivo de especulação há semanas. (Continua).

 

  Após rumores de que estaria morto ou gravemente doente, Kim Jong-un, ditador da Coreia do Norte, fez a sua primeira aparição pública em mais de 20 dias.

A agência de notícias oficial da Coreia do Norte, KCNA, disse, neste sábado (2), que Kim participou da cerimônia de inauguração de uma fábrica de fertilizantes em Sunchon, uma região ao norte da capital, Pyongyang.

Este foi o primeiro registro do líder comunista em uma atividade pública sua desde 11 de abril.

A agência forneceu fotos do episódio, que não pôde ser confirmado de maneira independente por outras fontes.

De acordo com a KCNA, o ditador estava acompanhado de várias autoridades norte-coreanas, incluindo sua irmã mais nova, Kim Yo-jong.

Bolsonaro: “Ninguém vai tentar dar um golpe em cima de mim”

@OAntagonistaBotMay 02, 2020

Jair Bolsonaro disse neste sábado a simpatizantes que estavam em frente ao Palácio da Alvorada que “ninguém vai tentar dar golpe”.

A declaração do presidente ocorreu depois que um apoiador criticou as ações do STF. “Ninguém vai fazer nada ao arrepio da Constituição, fiquem tranquilos”, respondeu.Leia também:Bom jornalismo: a sua proteção contra as fake news. (Continua).

 “Ninguém vai querer dar um golpe em cima de mim, não. Fiquem tranquilos.”

Mais cedo, como publicamos,  os seguidores de Bolsonaro resolveram espalhar nas redes sociais as hashtags “golpe do STF” e “golpe de Estado”.

A nova interferência do Poder Judiciário nas nomeações do Executivo é considerada importante porque pode gerar um efeito cascata no órgão indigenista. Atualmente, ao menos 20 das 39 coordenadorias da Funai são chefiadas por militares.

 Amoêdo: “Qual partido sério que não gostaria de ter Moro?”

@OAntagonistaBotMay 02, 2020

João Amoêdo foi questionado ontem em live se já havia convidado Sergio Moro para se filiar ao Partido Novo. Ele respondeu:

“Qual é o partido sério que não gostaria de ter Moro em seus quadros? O convite está feito.”

A gangue do vírus – só faltava essa 

  Bandidos armados invadiram o parlamento de Michigan para exigir o fim da quarentena.

Em sua página no Facebook, a gangue denominada Michigan United for Liberty anunciou:

“Não aceitamos que nossos direitos inalienáveis sejam limitados ou cancelados por motivo algum, inclusive a pandemia Covid-19.”

Bolsonaro destaca importância do agronegócio e da agricultura familiar

“Estamos com o pessoal do campo. Estamos juntos. O Brasil tem um potencial enorme nesta área”, disse Bolsonaro.

 “Este pessoal nunca para porque se parar vai faltar comida pra gente na cidade, tá ok?”, disse o presidente da República, Jair Bolsonaro, em referência aos trabalhadores brasileiros do campo.

A declaração foi dada nesta sexta-feira, 1º de maio, Dia do Trabalho, no Palácio da Alvorada, em Brasília.

Bolsonaro participou de uma live nas redes sociais da deputada federal Bia Kicis (PSL-DF), presidente da Frente Parlamentar do Agronegócio Familiar, que levou cerca de 20 pessoas ligadas ao agro para conversar com o mandatário.

Na ocasião, Bolsonaro apontou o “potencial enorme” do Brasil no agronegócio e na agricultura familiar:

 “Estamos com o pessoal do campo. Estamos juntos. O Brasil tem um potencial enorme nesta área, não só no agronegócio, como também na agricultura familiar.”

E acrescentou:

 “E, juntos, nós colocaremos o Brasil num local de destaque que bem merece num futuro muito próximo. Muito obrigado por trazerem para nós a comida produzida no campo.”

A deputada Kicis destacou o apoio da ministra da Agricultura, Tereza Cristina, e explicou que as pessoas ao lado de Bolsonaro eram agricultores que foram agradecer por “todo esforço” do presidente brasileiro.

 ‘Ninguém está acima da Constituição’, diz Aras a Moro

 O procurador-geral da República, Augusto Aras, rebateu as críticas do ex-ministro, Sergio Moro, contra o inquérito que envolve as acusações feitas contra o presidente da República, Jair Bolsonaro.

Em nota à imprensa, divulgada nesta sexta-feira (1º), Aras escreveu:

 “O procurador-geral da República, Augusto Aras, reitera que não aceita ser pautado ou manipulado ou intimidado por pessoas ou organizações de nenhuma espécie. Ninguém está acima da Constituição!” (Continua).

  Aras ainda afirmou que seu dever é o de “averiguar todos os fatos – e as versões que lhes dão os envolvidos – em busca da verdade real”:

 “O requerimento encaminhado ao Supremo Tribunal Federal obedece à consagrada técnica jurídica de apurar fatos, em tese, ilícitos, identificando os responsáveis e a existência ou não de sua materialidade, em busca de formar convicção sobre a ocorrência ou não de crimes.”

Na noite de quinta-feira (29), em entrevista à revista Veja, Moro classificou o inquérito requisitado pela PGR como “intimidatório”:

 “Entendi que a requisição de abertura desse inquérito que me aponta como possível responsável por calúnia e denunciação caluniosa foi intimidatória. Dito isso, quero afirmar que estou à disposição das autoridades.”

Ainda na nota divulgada por Aras, o procurador-geral afirma que a petição pela abertura do inquérito narra “fatos” e se contém “nos limites do exercício das prerrogativas do Ministério Público” e não tem “caráter intimidatório”, destaca o portal UOL.

Assintomático, Dybala testou positivo pela quarta vez para coronavírus, diz TV

Infectado há mais de um mês, argentino ainda apresenta baixa carga viral, segundo o programa “El Chiringuito”, e aguarda resultado negativo para encerrar isolamento total (Continua).

 

  Um dos três jogadores da Juventus infectados pelo coronavírus no mês passado, Paulo Dybala ainda não testou negativo para a Covid-19. A informação é do programa de TV “El Chiringuito”, do canal “Mega”, que aponta que o último teste realizado pelo argentino – o quarto desde sua infecção – ainda detectou uma carga viral baixa no organismo.

 Cachorro testa positivo para o novo coronavírus nos Estados Unidos

 O cachorrinho da raça pug havia testado positivo para o coronavírus durante um estudo que consistia em fazer exames em famílias da Carolina do Norte

Mais uma notícia triste sobre o novo coronavírus. É que pesquisadores da Duke University, na Carolina do Norte, nos Estados Unidos, informaram que um cachorro da raça pug, chamado por Winston, havia testado positivo para a covid-19, durante um estudo que consistia em fazer exames em famílias naquela região. Caso os resultados fossem precisos, o pug seria, provavelmente, o primeiro cachorro infectado com o novo coronavírus nos Estados Unidos. (Continua).

  “Os pugs são um pouco incomuns, porque tossem e espirram de uma maneira muito estranha”, disse Heather McLean, tutora do cãozinho, à NBC News. “Então, quase parece que ele estava engasgado, e houve um dia em que ele não quis mais tomar seu café da manhã e, se você conhece pugs, sabe que eles gostam de comer, então isso parecia muito incomum”, acrescentou ela, que também é professora de pediatria da Faculdade de Medicina da Universidade de Duke.

Tigre havia testado para a covid-19

 No começo de abril, funcionários do zoológico de Bronx, em Nova York, revelaram que um tigre por nome de Nadia tinha testado positivo para o coronavírus. Assim como outros felinos do zoológico, Nadia também apresentou doenças respiratórias leves, semelhantes aos sintomas associados à covid-19 em humanos. Oito felinos do zoológico, pelo menos, testaram positivo para a doença, incluindo um gato que parecia livre de sintomas. Os gatos não são os únicos suscetíveis ao vírus. Os primeiros relatos de animais de estimação com o novo coronavírus envolveram dois cães, em Hong Kong.

Em meio à pandemia do novo coronavírus e relatos da covid-19 em animais, sendo eles de estimação ou não, o Centro de Controle de Prevenção de Doenças dos EUA (CDC) atualizou suas normas sobre distanciamento social, ainda neste mês, para incluir os bichinhos. Contudo, não existem evidências de que os animais de estimação estejam desempenhando um papel importante na disseminação do vírus para as pessoas.

O CDC começou a reconhecer, no início de abril, casos de animais com o resultado positivo para o coronavírus, embora se referisse aos relatórios como provenientes de fora dos Estados Unidos. Já em meados deste mês, a agência começou a oferecer normas de precação sobre o distanciamento social aplicável a animais domésticos e pessoas. Desde 23 de abril, o texto do CDC não informa mais que os casos aconteceram somente fora dos Estados Unidos.

“Trate os animais de estimação como faria com outros membros humanos da família, não permita que eles interajam com pessoas ou animais fora da casa. Se uma pessoa dentro da casa ficar doente, isole-a de todos os outros, incluindo animais de estimação”, afirmava a agência em seu site sobre animais e o coronavírus, já em 14 de abril.

Contudo, o CDC acredita que o risco de pegar o coronavírus de animais de estimação é baixo, segundo informações limitadas até o momento. “Até que saibamos mais sobre esse vírus, as pessoas doentes com covid-19 devem evitar o contato com animais, sejam eles de estimação ou não”, alerta a agência.

As chances de danos graves a animais, como o pug Winston, por exemplo, também parecem baixas, no momento. Outras evidências puderam ser constatadas também. É que, embora a covid-19 seja capaz de infectar animais não-humanos, não parece levar a sintomas graves como nos humanos. Por acreditar-se que o vírus se espalhou originalmente para seres humanos a partir de um animal desconhecido, não é de se surpreender que ele possa atravessas a barreira da espécie.

(BOICOTEM) Huawei pode lançar P Smart 2020 com apps do Google

 A CHINESA Huawei deve relançar na Europa o seu smartphone P Smart 2019, que foi anunciado no fim de 2018 e lançado no começo do ano passado. O modelo recauchutado vai se chamar P Smart 2020, e deve ser praticamente igual ao antigo, mas com algumas mudanças sutis.

A decisão de relançar um modelo antigo pode ter um motivo bem simples, ele vai rodar o Android 9 Pie. Com isso, ele poderá contar com os apps e serviços móveis do Google. A maior diferença entre a 2019 para a 2020 será a memória RAM, que passaria de 3 para 4 GB, e também sua capacidade, que seria ampliada de 64 para 128 GB.

 

Covid-19: infectados podem apresentar sintomas neurológicos, diz estudo

 Em casos mais leves, pacientes apresentam dores de cabeça e tonturas; sintomas mais graves incluem perda de olfato e paladar, fraqueza muscular e até convulsões

À medida que os casos de Covid-19 começam a crescer no mundo, especialistas apontam para a existência de sintomas bastante incomuns, como é o caso de alguns sinais neurológicos observados em pacientes.

Na maioria das pessoas, a doença se manifesta como uma infecção respiratória que causa febre, dores, cansaço, tosse e, em casos mais sérios, falta de ar. No entanto, segundo especialistas, o vírus também pode infectar células fora do trato respiratório.

 

Coronavírus pode ser tão mortal quanto ebola em casos de internação, diz estudo britânico

  Pessoas que precisam de internação têm a mesma probabilidade de morrer que as internadas com o vírus do ebola

  Que a Covid-19 é uma doença grave em muitos casos, o número de mortes no mundo já mostra. Agora, porém, um novo estudo britânico afirmou que, em situações de internação, o novo coronavírus é tão mortal quanto o ebola. A pesquisa incluiu dados de 16.749 pacientes hospitalizados no Reino Unido e ainda precisa passar pelo processo de revisão.

  O estudo mostrou que 49% das pessoas internadas sobreviveram e receberam alta, enquanto 33% não resistiram à doença e 17% ainda estava em tratamento. “Algumas pessoas insistem em acreditar que a Covid-19 não é pior do que uma gripe ruim. Elas estão gravemente enganadas”, destacou Calum Semple, pesquisador líder do estudo.

 Aras não quer apreensão de celular de Zambelli

@OAntagonistaBotMay 01, 2020

Em manifestação ao STF, Augusto Aras se opôs à possibilidade de apreender e periciar o celular da deputada Carla Zambelli.

Segundo a Folha, o pedido de cumprimento de mandados de busca e apreensão contra a deputado foi apresentado por Randolfe Rodrigues. Aras afirmou que não cabe a parlamentares a “postulação de diligências investigativas.

“Como sabido, a legislação processual não contempla a legitimação de terceiros para a postulação de abertura de inquéritos ou de diligências investigativas relativas a crimes de ação penal pública.” (Continua).

  No documento, Aras reforça a necessidade de se colher o depoimento de Sergio Moro e escolheu três procuradores para acompanhar a oitiva. Como mostramos, Celso de Mello deu cinco dias para que o ex-ministro preste depoimento à PF.

 “Já são quase 5 milhões de empregos garantidos”, diz Bruno Bianco

@OAntagonistaBotMay 01, 2020

O secretário de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia, Bruno Bianco, afirmou neste Dia do Trabalho que as medidas adotadas pelo governo federal já garantiram a manutenção do emprego de quase 5 milhões de pessoas.

“A nossa luta é para a manutenção do emprego e da renda de vocês, brasileiros e brasileiras. Já são quase 5 milhões de empregos garantidos. Milhões e milhões de auxílios emergenciais foram pagos aos trabalhadores informais do Brasil. O potencial do nosso benefício chegará a quase 25 milhões de empregos preservados.”

Em carro oficial, funcionário de prefeitura é preso com R$ 500 mil após roubo a agência do BB no Piauí

@OAntagonistaBotMay 01, 2020

A Polícia Militar do Piauí prendeu na madrugada de hoje homens que tentaram escapar de uma barreira policial na cidade de União.

A PM procurava um grupo que havia tentado arrombar um cofre da agência do Banco do Brasil.

Com os suspeitos, foram encontrados R$ 500 mil em espécie.

O site local AZ traz o fato mais importante: o carro pertence à Prefeitura da cidade e um dos presos é funcionário da Prefeitura.

Em Ourinhos, bandidos explodem agência do BB e destroem base da PM

@OAntagonistaBotMay 02, 2020

Criminosos fortemente armados usaram explosivos na madrugada deste sábado para roubar uma agência do Banco do Brasil na cidade de Ourinhos, interior de São Paulo.

Segundo a PM, cerca de 15 homens cercaram também bases policiais e atiraram contra um posto na cidade.

A ação da quadrilha durou cerca de 3 horas. Não há informações sobre presos ou feridos.

Nas redes sociais, circulam vídeos que mostram os bandidos, com máscaras e metralhadoras, rendendo um motorista.

De acordo com o G1, parte da quadrilha conseguiu fugir em direção ao Paraná. (Veja vídeo abaixo, matérias continuam).

Ceará vai multar quem compartilha fake news sobre a pandemia

@OAntagonistaBotMay 02, 2020

O governo do Ceará sancionou uma lei que impõe multa de até R$ 2 mil a quem espalhar propositalmente fake news sobre a pandemia nas redes sociais.

O estado tem mais de 8 mil casos de Covid-19 e 539 mortes.

Nesta sexta-feira, o governador Camilo Santana prorrogou o isolamento social e afirmou que pode endurecer as medidas contra o avanço do novo coronavírus no estado.

 Ministro do Turismo critica ex-ministro Sérgio

No Instagram, afirmou que o governador João Doria “não se preocupa com o trabalhador” e que ele também está “preocupado com a própria biografia”, em referência ao ex-ministro da Justiça.

“É mais um que teme pelo que possa acontecer a sua biografia, mas não teme o que possa acontecer com o país, com os empregos e com as pessoas que dependem do trabalho diário para sobreviver. Será que o João Trabalhador também trabalhou para convencer Sergio Moro a desembarcar do Governo?”

Trump volta a dizer que Brasil foi “duramente atingido” e elogia Bolsonaro

@OAntagonistaBotMay 01, 2020

Donald Trump voltou a falar hoje sobre a difícil situação enfrentada pelo Brasil em meio à pandemia da Covid-19.

Ao ser perguntado, na entrevista coletiva realizada na Casa Branca, sobre o agravamento da pandemia no Brasil, o presidente americano elogiou o aliado Jair Bolsonaro.

“O Brasil foi duramente atingido, mas eles têm um presidente que está fazendo um trabalho muito bom”, afirmou.

Na sequência, Trump disse que “poderia ligar” para o presidente brasileiro neste fim de semana.

Em entrevista à Crusoéna edição desta semana, o embaixador do Brasil nos EUA, Nestor Forster, disse que a relação do país com o governo Trump é “única”.

OMS diz que Suécia é ‘modelo de combate’ ao coronavírus

Michael Ryan, diretor executivo da Organização Mundial da Saúde (OMS) e especialista em saúde emergencial, apontou a estratégia da Suécia como “modelo de combate” à pandemia de coronavírus.

O governo sueco se recusou, no período entre março e abril, a implementar leis específicas para quarentena e isolamento social. 

Ao invés das duras medidas restritivas de outros países da Europa, a Suécia propôs uma política pública baseada em uma forma de isolamento social baseado em cidadania, não em multas ou regulamentações severas.

Segundo a agência EBC, em coletiva de imprensa, Ryan afirmou:

“Há uma percepção de que a Suécia não criou medidas de controle e deixou a doença se disseminar, mas isso não poderia estar mais longe da verdade.”

E acrescentou:

“[O país] criou uma política pública muito dura de distanciamento social baseada em cuidar e proteger pessoas internadas. O que houve de diferente foi a confiança na cidadania e a habilidade individual dos cidadãos de se imporem o distanciamento social e os devidos cuidados [contra a infecção].”

Ryan completou:

“Se não queremos uma sociedade que necessite de lockdowns, devemos olhar para a Suécia como representante de um modelo [de ação].”

 

Fontes: O Antagonista, Globo Esporte, Renova Mídia. Fotos: Redes sociais.

https://www.youtube.com/watch?v=sY_Fehku23w

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *