TV Radar

VÍDEOS CHOCANTES – Imagens raras da China mostram desespero da população onde centenas já morreram com o coronavírus, que ameaça se espalhar pelo mundo; fronteiras foram fechadas

Cem mortes aconteceram na província de Hubei, onde fica a cidade de Wuhan. Homem de 50 anos foi a primeira pessoa a morrer por causa da doença em Pequim, nesta segunda-feira. Vídeo no final. (Continua).

 A China confirmou nesta terça-feira (28) que chegou a 106 o número de mortes pelo novo coronavírus, sendo 100 apenas na província de Hubei, onde fica a cidade de Wuhan, cidade considerada como epicentro da doença. Já são 4.537 infectados somente na China e 4.593 casos confirmados em todo o mundo, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS). (Continua).

 Ontem (27), também foi confirmada a primeira morte por complicações respiratórias causadas por coronavírus em Pequim. Segundo a rede estatal CCTV, a vítima é um homem de 50 anos diagnosticado com a doença na quarta-feira (22) após viagem para Wuhan. (Continua).

 Em uma tentativa de conter a propagação da doença, o governo chinês suspendeu as comemorações do Ano Novo Lunar e estendeu o feriado até o dia 2 de fevereiro.

Grandes empresas fecharam as portas ou disseram aos funcionários para trabalhar de casa.

Fronteira fechada

No cenário internacional, a Mongólia foi o primeiro país a fechar as fronteiras terrestres com a China, enquanto a Malásia tem proibido as pessoas da província chinesa de Hubei, a mais afetada, de viajarem ao país. Já a Alemanha e a Turquia desaconselham seus cidadãos de viajarem para território chinês.

 Hong Kong anunciou que suspenderá a partir de quinta-feira (30) linhas férreas utilizadas por trem de alta velocidade. Os serviços de balsas e ônibus e o transporte aéreo também serão reduzidos entre o território semiautônomo e a China continental, segundo a BBC.

 O premiê chinês, Li Keqiang, visitou a cidade de Wuhan, o epicentro do surto, para sinalizar que está respondendo seriamente ao surto. O diretor-geral da Organização Mundial de Saúde (OMS), Tedros Adhanom Ghebreyesus, anunciou que está a caminho de Pequim para “estreitar a colaboração” com a China.

 A OMS passou a classificar como “elevado” o risco internacional de contaminação pelo coronavírus. O novo status, divulgado nesta segunda, é uma correção na avaliação feita anteriormente pela própria OMS. A organização esclareceu que, por um “erro de formulação”, havia apontado o risco como “moderado”.

 Transmissão do vírus

O ministro da Comissão Nacional de Saúde da China, Ma Xiaowei, disse neste domingo (26) que o novo coronavírus pode se espalhar antes mesmo do aparecimento de sintomas.

Xiaowei afirmou ainda que a capacidade de transmissão do coronavírus está se fortalecendo e reforçou que as ações de contenção – que até agora incluem restrições de transporte e viagens e o cancelamento de grandes eventos – serão intensificados.

Vacinas contra o vírus

Um grupo de cientistas do Instituto Nacional de Saúde dos Estados Unidos (NIH, na sigla em inglês) deverá testar vacinas contra o coronavírus em humanos em até três meses, de acordo com a agência de notícias Reuters.

 A vacina será desenvolvida a partir do código genético desta nova mutação do coronavírus, conhecida como 2019-nCOV.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) pediu a cientistas de todo o mundo que estejam estudando o novo coronavírus compartilhem suas descobertas com a instituição mesmo sem a publicação oficial em periódicos oficiais.

A Coalizão de Inovações em Preparação para Epidemias (Cepi) – grupo internacional para o controle de doenças – anunciou em 22 de janeiro um fundo para apoiar três programas de desenvolvimento de vacinas contra o 2019-nCoV, o novo coronavírus.

 Rússia, por meio de seu órgão regulador, também havia anunciado que está trabalhando no desenvolvimento de uma vacina contra o coronavírus.

 BRASILERIOS

  O presidente Jair Bolsonaro descartou na terça-feira (28) a possibilidade de o Brasil resgatar a família de brasileiros que está em região afetada pelo coronavírus, na Ásia.

 De acordo com o Itamaraty, cerca de 70 brasileiros estão isolados em cidades da província de Hubei, onde fica Wuhan, epicentro do surto. Apesar disso, o órgão ressalta que não é possível dizer com certeza quantas pessoas são ao todo.

 Em nota, o Itamaraty diz que está em constante diálogo com o governo chinês. “Recorde-se que qualquer evacuação demandará, além da autorização chinesa, cumprimento das normas internacionais sobre quarentena e permissão de sobrevoo e pouso de avião com pessoas provenientes de área que experimenta surto da doença”. Vídeo abaixo, veja até o final, são chocantes as imagens com as cidades isoladas, ninguém entra, ou sai delas. A situação é muito pior do que se imagina, mas os canais de TV não mostram tudo. As piores imagens são depois que o médico fala. E compartilhe para as pessoas saberem e se protegerem do que pode estar vindo por aí..

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *