SAÚDE

VÍDEOS SENSÍVEIS – Sacanagem da China trava compra de respiradores ao Brasil e governo quer aumentar produção – vamos valorizar nossos produtos nacionais, chega de pirataria com produtos sem qualidade, a maioria não pagam impostos, fecham fábricas e tiram nossos empregos, um basta a produtos da China – além de outras notícias atualizadíssimas do Brasil e do mundo sobre o Covid-19

“Uma empresa da China desistiu da venda de 15 mil respiradores que tinha sido negociada com o governo brasileiro, afirmou o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta.

  Como alternativa, o Ministério da Saúde firmou uma parceria com empresas brasileiras para uma produção massiva em tempo reduzido de mais respiradores. Várias empresas de diferentes ramos vão fazer parte do esforço. (Continua).

 

  Segundo o ministro, a ação durará cerca de 45 dias e “é extremamente complexa”, já que o país, até o momento, tem uma capacidade reduzida de produção desses equipamentos, imprescindíveis para combater a Covid-19. Entre as empresas que participarão do esforço conjunto estão a Positivo, a Embraer, a Fiat e alguns bancos.”

Doria ameaça prender quem se aglomerar nas ruas

  João Doria disse ao SPTV, da Globo, que as pessoas que fizerem aglomerações nas ruas do estado de São Paulo serão advertidas e orientadas, mas que se insistirem poderão ser presas pela PM.

 “Se não houver consciência das pessoas (…), a partir de segunda-feira o governo de São Paulo tomará medidas mais rigorosas, com a penalização de prisão para as pessoas que desobedecerem essa recomendação”, declarou o governador. (Continua).

 

  “Eu espero que a gente não chegue a esse patamar, mas, se chegarmos, vamos fazer isso em defesa da vida”, acrescentou o tucano.

 Saúde informa que já realizou quase 154 mil testes para Covid-19

  O secretário de Vigilância em Saúde, Wanderson Oliveira, disse que o Brasil já recebeu mais de 892 mil testes para Covid-19 – dos quais 500 mil são testes rápidos.  E que já foram realizados 153.961 testes. (Continua).

 Presidente do BC é contra ‘imprimir dinheiro’ na crise

  Roberto Campos Neto disse nesta quinta (9) não ser favorável à emissão de moeda para financiar os gastos do governo no combate à crise provocada pela pandemia do novo coronavírus, registra o Estadão.

  A ideia de “imprimir dinheiro” na crise atual foi defendida recentemente por Henrique Meirelles, um dos antecessores de Campos Neto na presidência do BC e hoje secretário da Fazenda do governo João Doria.

modificado dependendo do que aconteça– nós não entendemos que é a melhor saída, não”, disse o presidente do BC.

 “Eu acho que a saída não é por aí. É uma ideia, sempre a gente discute todas as ideias, mas hoje –e obviamente tudo pode ser modificado dependendo do que aconteça– nós não entendemos que é a melhor saída, não”, disse o presidente do BC.

 Covid-19: União Europeia aprova pacote de 540 bilhões de euros para recuperação dos seus países

  Os 27 ministros do países da União Europeia, que compõem o Eurogrupo, aprovaram hoje um plano de recuperação de 540 bilhões de euros.

  O dinheiro será usado principalmente para despesas na área de Saúde, duramente atingida pela pandemia de Covid-19, mas poderá ser usado para garantir a liquidez das empresas, o seguro-desemprego e um plano de recuperação econômica.

 Jogo da Champions League na Itália pode ter sido ‘bomba biológica’ de coronavírus

  Em 19 de fevereiro, cerca de 35% da população de Bergamo, na Itália, viajou 50 km até Milão para ver o jogo do time da cidade, a Atalanta, contra o espanhol Valencia, relata a Folha.

  Era a primeira vez que a equipe jogaria uma partida eliminatória da Champions League, o principal campeonato de clubes da Europa.

 A  Atalanta goleou o Valencia por 4 a 1 –mas, hoje, autoridades apontam esse jogo como um dos responsáveis por fazer explodir a pandemia do novo coronavírus. (Continua).

 

  Bergamo fica na Lombardia, o principal foco da doença na Itália, com 9.484 mortos pela Covid-19. Em todo o país, são mais de 17 mil.

 O prefeito da cidade, Giorgio Gori, definiu o jogo como uma “bomba biológica.”  Para Walter Ricciardi, presidente do Instituto Nacional de Saúde, “é só você olhar a porcentagem da população que esteve no estádio e o fato de que a província de Bergamo se tornou um dos focos do coronavírus na Itália poucas semanas depois. Se você analisar todo o cenário, não pode ser coincidência”.

PDT entra com ação contra Banco Central por pacote de 1,2 trilhão para bancos

 O PDT entrou com ação popular no Supremo contra a circular do Banco Central que reduziu o limite do compulsório dos bancos com a finalidade de injetar liquidez na economia por causa da crise provocada pela pandemia da Covid-19.

 O pacote de medidas autorizadas por Roberto Campos Neto também abrange linhas de crédito emergenciais e até compra de carteiras de dívidas de instituições bancárias, totalizando um fluxo de R$ 1,2 trilhão.

 O problema é que os bancos privados não atenderam as expectativas de Campos Neto, retiveram o crédito e ainda aumentaram os juros.

 Para o PDT, “não pode ser que o Banco Central libere um fluxo de um trilhão, duzentos e dezesseis bilhões e duzentos milhões de reais e isso não impacte na liquidez da economia por  pura falta de capacidade da equipe econômica de prever que o sistema financeiro tem preferência pelos ativos líquidos e iriam, no cenário de crise instalada, reter os valores em seus caixas”.

 Na ação, o partido pede ainda a “concessão da tutela provisória de urgência, na modalidade de tutela inibitória, para impedir que os bancos aumentem as taxas de juros e intensifiquem a rigidez nas exigências de concessão de crédito, bem como para condicionar a concessão dos

 benefícios de liquidez advindos das medidas interventivas (redução dos compulsórios) à presentação efetiva das novas linhas e carteiras de créditos para o mercado produtivo terno pelos bancos interessados em obtê-los, sob pena de multa”.

Homem com suspeita de coronavírus foge de hospital

   Um homem com suspeita de covid-19, doença causada pelo novo tipo de coronavírus, fugiu do hospital São Vicente, em Jundiaí, interior de São Paulo, no fim da tarde de ontem. Menos de 24 horas depois da fuga ele foi encontrado pela Guarda Municipal e levado de volta para a unidade hospitalar. De acordo com a Guarda Municipal, a equipe de enfermagem do hospital relatou que na tarde de ontem, o homem, que não teve a identidade revelada, estava com comportamento agressivo e fugiu usando apenas a camisola do hospital. Um boletim de ocorrência foi registrado e a guarda passou a procurar por ele.

   Na ficha cadastral do hospital, o homem não revelou o seu endereço. Ele disse aos médicos apenas que morava em um barraco, mas que costumava passar grande parte do tempo perambulando pelas ruas da cidade. Na manhã de hoje, durante patrulhamento, o paciente foi encontrado no bairro Vila Aparecidinha, em um local conhecido “cracolândia”, muito frequentado por usuários de drogas. Ainda segundo a Guarda Municipal, ele confessou que é usuário de drogas e havia ido até o local em busca de entorpecentes. O homem está internado há 10 dias com sintomas como febre alta, falta de ar e tosse. Ele fez o teste para diagnosticar se ele está com coronavírus e aguarda resultado.

 Laboratórios de SP processam 1,9 mil testes de coronavírus por dia, mas recebem novos 1,3 mil diariamente

 Até a última  terça-feira (7), fila de testes represados era de 17 mil. Segundo secretário de Saúde, atraso nas confirmações se deve à demora da importação de kits de matéria-prima; são esperados 750 mil testes vindos da Coreia do Sul.

  O secretário estadual de Saúde de São Paulo, José Henrique Germann, disse nesta quinta-feira (9) que os laboratórios do estado têm a capacidade de processar 1.900 resultados de testes para detectar Covid-19 por dia, mas recebem diariamente mais de 1.300 novos testes. Até esta terça-feira (7), o Governo do Estado contabilizava 17 mil testes represados na fila.

 “Devemos chegar na semana que vem a 5 mil testes [processados por dia], e 8 mil até o final [do mês] ou perto do dia 27 de abril”, afirmou o secretário durante coletiva de imprensa no Palácio dos Bandeirantes, Zona Sul de São Paulo.

  o dia 30 de março, governo estadual havia dito que a ampliação da capacidade para processamento diário de 10 mil testes seria alcançada até meados de abril.

 A rede de testagem, coordenada por Dimas Covas, do Instituto Butantan, é constituída por Adolfo Lutz, suas regionais, hospitais universitários e serviços da rede privada.

 ‘Coronavírus chegou na periferia. Precisávamos de mais tempo para preparar leitos’, diz secretário da Saúde de SP

 Edson Aparecido prevê agravamento da situação do sistema público de saúde municipal em uma semana ou dez dias, caso a contaminação continue avançando no atual ritmo na cidade.

O secretário municipal de Saúde de São Paulo, Edson Aparecido, afirmou nesta quinta-feira (9) que o coronavírus “chegou definitivamente à periferia da cidade” e que os leitos extra de UTI criados pela prefeitura podem não dar conta do fluxo de pacientes.

“O prefeito nos autorizou a criar 439 leitos extras de UTI na primeira etapa e já estamos com 292 desses leitos ocupados. Você viu uma foto hoje de uma fila de ambulâncias chegando no hospital de Parelheiros. A Covid-19 chegou definitivamente na periferia da cidade. Por isso a importância das pessoas continuarem nesse processo de isolamento”, afirmou o secretário em entrevista à GloboNews.

De acordo com o secretário, vários pacientes estão dando entrada nos hospitais públicos municipais da periferia da capital e no mesmo dia já estão sendo encaminhados para as unidades de tratamento intensivo (UTIs), devido ao agravamento rápido do quadro de saúde.

Quarentena para evitar contágio do coronavírus afrouxa em todas as capitais

  Entre a última semana de março e os primeiros dias de abril, a diminuição no isolamento da população foi o padrão para todas as capitais brasileiras. Mesmo em casos onde a variação foi pequena, houve algum aumento na circulação de pessoas. Nenhuma capital viu suas ruas ficarem mais vazias durante a semana passada. A variação foi identificada com base na localização de 60 milhões de telefones celulares no País, compilada pela empresa In Loco, e tem sido analisada por pesquisadores brasileiros para determinar a relação do movimento nas ruas com o grau de contágio pelo novo coronavírus.

 Marcas ameaçam cancelar contrato com SBT após polêmica com Marcão do Povo

  O comentário de Marcão do Povo sobre a criação de “campos de concentração” para pacientes diagnosticados com o novo coronavírus caiu como uma bomba no departamento comercial do SBT. Diversas marcas procuraram a emissora e avisaram não ter interesse em continuar tendo seus produtos vinculados ao apresentador do “Primeiro impacto”. (Continua).

 

  A Coluna do Leo Dias apurou que quatro empresas, de diferentes campos de atuação, ameaçaram rescindir seus contratos firmados para ações de merchandising no telejornal matinal. Marcão era uma espécie de “merchandete” do noticiário, e aparecia em anúncios mesmo nos horários da ancoragem de Dudu Camargo e Márcia Dantas.

Brasil teme confisco de máscaras em escala de voos da China, diz ministério

  O secretário-executivo do Ministério da Saúde, João Gabbardo, afirmou hoje que um dos desafios para que o Brasil consiga importar um lote de 240 milhões de máscaras da China é definir os países em que os voos farão escala no trajeto. Há o temor de que a carga possa ser retida por outro país, já que, no momento, há uma corrida mundial por equipamentos de saúde utilizados no enfrentamento à pandemia do novo coronavírus.

  Premiê esloveno ameaça cortar verbas da OMS: ‘Demita-se agora, Tedros’

   O primeiro-ministro da Eslovênia, o conservador Janez Jansa, pediu a renúncia do diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), Tedros Adhanom Ghebreyesus, e, assim como o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, ameaçou cortar verbas destinadas à entidade.

  “Demita-se! Agora, Tedros”, escreveu o premiê no Twitter ao comentar um vídeo que mostra o chefe da OMS pedindo para que a pandemia do coronavírus não se torne motivo de disputas políticas. (continua).

 

  Adhanom Ghebreyesus fez o apelo após Trump acusar a OMS de administrar mal a crise da Covid-10 e cogitar a possibilidade de cortar repasses à organização. “Todos devemos fazer isso”, escreveu Jansa em outro tweet, em apoio à ameaça do presidente americano.

 Aperto de mão será extinto no pós-pandemia, diz médico do governo Trump

  O médico Anthony Fauci, diretor do Instituto Nacional de Alergia e Doenças Infecciosas, afirmou, nesta quarta-feira (8), que o aperto de mão será extinto após a pandemia do novo coronavírus.

  Integrante da força-tarefa criada pelo presidente Donald Trump, o infectologista disse que a saudação habitual pode se tornar uma coisa do passado:

  “Acho que o que vamos incorporar em nós para sempre é a percepção de que algo tão catastrófico quanto o que o mundo está passando agora pode acontecer.”

   “E, como sociedade, esqueça o aperto de mãos. Não precisamos apertar as mãos. Temos que quebrar esse costume porque, de fato, essa é realmente uma das principais maneiras pelas quais você pode transmitir uma doença de origem respiratória.”

 Excesso de coagulação agrava casos de coronavírus e pode levar à morte, avalia médica brasileira

  Mecanismo de defesa do corpo contra o coronavírus libera substância que pode diminuir a oxigenação do sangue e facilitar a criação de coágulos.

  Os problemas dos pacientes graves de Covid-19 não são ligados somente à inflamação dos pulmões, mas, também, à coagulação excessiva que é causada pela resposta que o corpo dá à infecção pelo coronavírus, avalia a pneumologista Elnara Negri, do Sírio Libanês.

Em entrevista ao G1, ela ressalta que a análise dessa característica, na prática, pode levar à mudança na forma do tratamento: quando os pacientes têm um quadro agudo, o médico precisaria dar um anticoagulante.

 Sistema de saúde do Amazonas entra em colapso com pandemia de coronavírus

 MANAUS (Reuters) – Autoridades de Saúde do Estado do Amazonas pediram nesta quinta-feira para que a população não saia de casa, enquanto o sistema enfrenta um possível colapso após um pico nos casos do novo coronavírus que ocupou todos os ventiladores mecânicos e leitos em unidades de tratamento intensivo na região.

 Os casos confirmados do vírus chegaram a 899 no Estado, sendo 800 na capital Manaus, única cidade com unidades de tratamento intensivo no Amazonas.

 A diretora-presidente da Fundação de Vigilância em Saúde (FVS-AM), Rosemary Pinto, disse que as pessoas não estão prestando atenção às orientações de distanciamento social e quarentena, que tem o objetivo de impedir o funcionamento de todas as atividades e serviços não essenciais.

“Ainda tem muita gente nas ruas”, disse a jornalistas.

 Ela deu como exemplo famílias que colocam cadeiras na rua em frente às suas casas e fazem reuniões, e as filas de pessoas aglomeradas nos bancos incluindo as com mais de 60 anos, que fazem parte do grupo de risco.

 “Recomendamos que cada pessoa tenha a sua máscara, feita em casa mesmo. Devemos deixar a máscara cirúrgica e a N95 para os profissionais de saúde. Vemos ainda muita gente andando desprotegida, circulando em vários locais”.

 O Ministério da Saúde reportou 141 mortes no país por causa do coronavírus nesta quinta-feira, recorde diário, elevando o número total de mortos para 941, sendo mais da metade no Estado de São Paulo.

 No Amazonas, as mortes chegaram a 40 nesta quinta-feira, com os casos confirmados dobrando a cada 48 horas e chegando a 899, superando São Paulo como em número de casos para cada 100 mil habitantes.

 A crise sobrecarregou os hospitais em Manaus e levou o governador a substituir o secretário de Saúde na quarta-feira.

 “Os casos estão concentrados em Manaus, mas quando começar a crescer no interior vai ser catastrófico, e se chegar nas comunidades indígenas será muito pior”, afirmou o deputado federal amazonense Marcelo Ramos (PL) à Reuters por telefone.

Autoridades de saúde e antropólogos alertaram para o perigo da pandemia dizimar a população de cerca de 850 mil indígenas brasileiros, muitos dos quais não têm imunidade a doenças externas e vivem em residências compartilhadas, onde o distanciamento social é inviável.

  Ministério diz que faltam leitos e treinamento de profissionais de saúde no Brasil para enfrentar pico da epidemia

  Novo boletim do Ministério da Saúde divulgado nesta quinta-feira (9) alerta para preocupações da pasta na preparação do país para o enfrentamento do pico da pandemia. Entre outras questões, o documento lista como pontos de atenção: a limitação de testes para o vírus, falta de vagas em Unidades de Tratamento Intensivos (UTI) e falta de treinamento dos profissionais da saúde para lidarem com algumas situações.

No boletim, o ministério apresenta as soluções que estão sendo implantadas, sugestões para gestores e as preocupações sobre possíveis problemas que o sistema de saúde pode enfrentar.

 Sobre o isolamento social

  O documento reforça a necessidade de isolamento social nos lugares onde já há transmissão do novo coronavírus – para que o sistema de saúde destes lugares se prepare para a doença

  “O Ministério da Saúde avalia que as estratégias de distanciamento social adotadas pelos estados e municípios, contribuem para evitar o colapso dos sistemas locais de saúde, como vem sendo observado em países como EUA, Itália, Espanha, China e recentemente no Equador. As medidas de distanciamento social ampliado ser mantidas até que o suprimento de equipamentos (leitos, EPI, respiradores e testes laboratoriais) e equipes de saúde (médicos, enfermeiros, demais profissionais de saúde e outros) estejam disponíveis em quantitativo suficiente.”- Boletim Epistemológico da Covid-19, número 8, do Ministério da Saúde.

  Mais de 600 mil pequenas empresas fecharam com pandemia, diz Sebrae

  Pelo menos 600 mil pequenas empresas fecharam as portas no Brasil e 9 milhões de funcionários foram demitidos em razão dos efeitos econômicos da pandemia do novo coronavírus, estima levantamento do Sebrae divulgado pela CNN.

 A pesquisa também mostra que 30% dos empresários tiveram de buscar empréstimos para manter seus negócios, mas mais da metade deles (59,2%) teve seus pedidos negados.

 O levantamento foi feito pela internet e ouviu 6.080 microempreendedores individuais, microempresas e empresas de pequeno porte entre os dias 3 e 7 de abril.

 Após denúncias, governo Witzel impõe sigilo a gastos emergenciais com a Covid-19

  A Secretaria Estadual de Saúde tornou sigilosos processos administrativos que se referem a contratações emergenciais para o combate ao novo coronavírus. Os gastos somam ao menos R$ 1 bilhão, segundo a Folha.

 Mais cedo, o jornal publicou que a organização social Iabas (Instituto de Atenção Básica e Avançada à Saúde), com histórico de má gestão em unidades de saúde, foi contratada por R$ 835 milhões para construir e administrar os 1.400 leitos dos sete hospitais de campanha no estado.

  Na semana passada, O Antagonista revelou também um contrato de R$ 10 milhões a para criação de um aplicativo para fornecer informações à população sobre a pandemia – o contrato acabou cancelado.

  O G1 também publicou semanas atrás que Witzel demitiu a subsecretária de Saúde Mariana Scardua após queixas sobre gastos do subsecretário-executivo da pasta, Gabriel Neves.

 Um dos gastos se refere ao contrato de R$ 76,5 milhões, sem licitação, com a empresa OZZ Saúde Eireli para fazer a gestão do SAMU na cidade do Rio, que antes era feita pelo Corpo de Bombeiros.

  Covid-19: União Europeia aprova pacote de 540 bilhões de euros para recuperação dos seus países

  Os 27 ministros do países da União Europeia, que compõem o Eurogrupo, aprovaram hoje um plano de recuperação de 540 bilhões de euros.

   O dinheiro será usado principalmente para despesas na área de Saúde, duramente atingida pela pandemia de Covid-19, mas poderá ser usado para garantir a liquidez das empresas, o seguro-desemprego e um plano de recuperação econômica.

  França e Itália lideram um grupo de países que querem a criação de um título público europeu, o Eurobond, mas Alemanha e Holanda são contra. Nesse terreno, o impasse continua.

 Fontes: O Antagonista, G1, Extra, Uol.

 

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *