SAÚDE

VÍDEOS ÍNÉDITOS – MOTINS NA ITÁLIA – e Europa se derrete com novos casos de coronavirus e EUA já registram 23 mortos e 550 contaminados

Rebelião em um presídio localizado em Modena, na Itália, deixou ao menos seis detentos mortos e outros seis feridos. Também foram registrados tumultos nas prisões localizadas nas cidades de Foggia, Palermo e San Vittore. (Continua).

   Os motins tiveram início após os presos receberem notícias sobre o agravamento da epidemia e as medidas mais rigorosas adotadas pelo governo para conter o avanço do coronavírus. Na rebelião da penitenciária de Sant’Anna, em Modena, seis detentos morreram e outros seis ficaram feridos em estado grave. Também foram registrados tumultos nas prisões localizadas nas cidades de Foggia, Palermo e San Vittore, próximo a Milão.

ESTADOS UNIDOS

O número de casos confirmados pelo coronavírus nos Estados Unidos superou neste domingo (8) os 550, em um momento em que o presidente Donald Trump defendeu a “perfeitamente coordenada” resposta de seu governo à emergência sanitária, que obrigou no domingo o cancelamento do torneio de tênis de Indian Wells. (Continua).

 

  O vírus chegou a 30 dos 50 estados americanos e matou pelo menos 21 pessoas, enquanto a capital americana anunciou o primeiro caso no sábado e milhões de pessoas em Califórnia, Nova York e mais recentemente Oregon estão em estado de emergência. Uma contagem do Johns Hopkins elevou a 554 o número de casos após a confirmação do diagnóstico na Pensilvânia, em Illinois, Massachuset.

 EUROPA E CHINA

A China tem tem 80.904 infecções diagnosticadas, com 3.123 mortes.

Nas últimas 24 horas, a Alemanha registrou 150 novos casos de contágio por Covid-19, o que eleva a 1.112 o número de pessoas afetadas pela epidemia, anunciou nesta segunda-feira (9) o Instituto Robert Koch, que supervisiona o combate às epidemias no país. O principal foco da doença está na região da Renânia do Norte-Vestfália, na fronteira com Holanda e Bélgica. (Continua).

  Na Itália, país mais atingido no continente europeu, foram registrados 7.375 casos da doença e 366 mortes. Quase metade dos casos está na Lombardia, região mais atingida. Um quarto da população está em quarentena por causa do Covid-19.

 MAIS NOTÍCIAS

A quarentena na Itália, decretada no sábado (7) como tentativa de conter o vírus, deve durar até 3 de abril. Cerca de 16 milhões de pessoas no norte do país estão em isolamento; museus, escolas e pontos turísticos, como a Pompeia e o Coliseu, foram fechados. Funerais e eventos culturais foram cancelados, e a ordem do governo requer que as pessoas mantenham distância de pelo menos um metro umas das outras em eventos esportivos, bares, igrejas e supermercados. As aulas já haviam sido suspensas em todas as escolas e universidades do território italiano.

Na Espanha, o governo fechou escolas na cidade de Labastida, no País Basco, depois de mais de 150 casos serem identificados na região. O ministério da Saúde espanhol registrou 999 casos de Covid-19 até esta segunda-feira (9), a maior parte deles ao redor de Madri e Vitória, no norte do país.

Nos Estados Unidos, mais um condado de Nova York fechou escolas depois que um professor testou positivo para o vírus. A Universidade de Columbia e a Faculdade Barnard, ambas na cidade de Nova York, cancelaram aulas nesta segunda (9) e terça (10), e terão aulas remotas pelo resto da semana depois que uma pessoa foi posta em quarentena por causa do novo coronavírus.

Ainda nos EUA, um navio de cruzeiro que havia sido mantido longe da costa da Califórnia depois que 21 pessoas a bordo testaram positivo para o novo vírus deve atracar nesta segunda (9) em Oakland, perto de San Francisco.

Em Xangai, na China, o complexo da Disney reabriu parcialmente nesta segunda, mais de um mês depois de fechar por causa da epidemia. O parque de diversões segue fechado, mas um número limitado de lojas, restaurantes e um hotel retomaram as atividades.

A Fifa e a Confederação Asiática de Futebol adiaram as partidas de qualificação para a Copa da Ásia, marcadas para março e junho, por causa do novo coronavírus.

Várias embaixadas na Coreia do Norte fecharam com a saída de diplomatas, depois de semanas de restrições impostas pelo governo por causa do novo coronavírus. O país não registrou, oficialmente, nenhum caso da doença. Fonte: Uol. Foto reuters Flavio lo Scalzo – internet.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *