SAÚDE

VÍDEO – DEMOROU – Mas parabéns, prefeito de Linhares (ES) – Prefeitura de Linhares apresenta protocolo de medicação para tratamento precoce da Covid-19

 Na manhã de ontem , 7, a Prefeitura de Linhares, por meio da secretaria municipal de Saúde, aprovou , juntamente com médicos da rede municipal de saúde, o protocolo de recomendação de manejo clínico contra a Covid-19.

 No encontro, os profissionais  discutiram o protocolo e aprovaram  as recomendações de Manejo Clínico – COVID-19.

O protocolo é um documento com orientações sobre a doença, sintomas, uso dos medicamentos em cada fase, entre outras. O documento é uma recomendação, sendo que os médicos poderão utilizar medicamentos que não estejam definidos no protocolo. (Continua).

 

 

 Os medicamentos foram definidos para cada fase da doença sendo na primeira – até o 5º dia -, e na segunda fase da doença – que compreende do 6º ao 14º dia. O protocolo sugere o uso de medicamentos como a Ivermectina, Azitromicina, Prednisona e Dexametasona, de acordo com cada fase da doença e sob prescrição médica.

Conforme o secretário da Saúde, Saulo Rodrigues Meirelles não há, até o momento, comprovação de total eficácia e segurança de um tratamento para coronavírus. No entanto, desde o surgimento da pandemia, estudos e pesquisas têm sugerido que o uso de alguns medicamentos, até então utilizados para o tratamento de outras doenças, podem ter algum nível de eficácia no tratamento da Covid-19.

“O objetivo é oferecer uma diretriz aos profissionais para normatizar o tratamento dos pacientes na rede  municipal de saúde.

O protocolo proposto para o município trata da utilização de um conjunto de medicações no tratamento de fases iniciais da doença (chamadas fase I e fase IIA), e foi elaborado por um grupo de profissionais dos departamentos de atenção primária, Assistência Farmacêutica, corpo médico do comitê de situação de emergência em saúde pública municipal, corpo médico de Linhares com o intuito da atenção primária, representante do corpo médico da UPA (Unidade Sentinela).

Esse protocolo poderá  contribuir para prevenir a replicação viral na fase inicial da doença, com o objetivo de evitar complicações agudas, agravamento da doença e internação hospitalar. (Continua).

 

Se internar essa mulher, ela melhora?

 

Baseado em estudos científicos e em experiências efetivas que já aconteceram em outras regiões do país, o protocolo consiste em orientar sobre quais os medicamentos poderão ser utilizados.   O tratamento deverá associar sintomas característicos apresentados nas fases da doença no âmbito ambulatorial aos medicamentos recomendados.

Para o paciente ter acesso aos medicamentos, será necessária a prescrição médica.

Fases da Doença

Na primeira fase da doença – até o 5º. Dia -,  está sendo indicado o uso da Azitromicina 500mg 1x/dia, durante 5 dias, Ivermectina 6mg, comprimido a cada 30 Kg, no máximo de 3 comprimidos em dose única; Dipirona gotas 500mg/ml – 20 a 40 gotas de 6/6h; Paracetamol 500mg (adulto) – 1 comprimido de 6/6h caso dor e/ou febre; Bromoprida gotas 4mg/ml 8/8h caso náuseas.

Para a segunda fase da doença – que compreende do 6º ao 14º dia – a orientação são os medicamentos: Azitromicina 500mg 1x/dia, durante 5 dias; Ivermectina 6mg -1 comprimido a cada 30 Kg, no máximo de 3 comprimidos em dose única; Prednisona 20mg, ( a partir do 10° dia) de início de sintomas -2 comprimidos 1x/dia, durante 7 dias ou Dexametasona 4 mg -( apartir do 10° dia de início de sintomas) – posologia à critério médico; Dipirona gotas 500mg/ml 20 a 40 gotas de 6/6h; Paracetamol 500mg (adulto) – 1 comprimido de 6/6h caso dor e/ou febre; Bromoprida gotas 4mg/ml 8/8h caso náuseas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *