SAÚDE

ORAÇÃO PARA OS AFRICANOS – 3 respiradores para 5 milhões de africanos. Jesus, vai ser um massacre !!!! A China vai ter de indenizar a África também

  Especialistas temem milhares de mortes no continente devido a baixo número de testes, infraestrutura precária e escassez de recursos, entre outros fatores. (Continua).

 

  Três respiradores para 5 milhões de pessoas. Esse é o número de máquinas de ventilação mecânica, essenciais para pacientes com covid-19 em estado grave, que a República Centro-Africana tem para toda a sua população.

 Em Burkina Faso, a proporção é de 11 respiradores para 19 milhões de cidadãos. Já em Serra Leoa, são 18 para 7,5 milhões.

  A pandemia do coronavírus que começou na China e se espalhou pelo mundo chegou ao continente africano, onde especialistas preveem que vai provocar uma tragédia de “imensas proporções”. (Continua).

 

  Na semana passada, o etíope Tedros Adhanom, diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), disse que a África deve se preparar para “o pior”.

  “A África deve acordar”, afirmou. Alertas semelhantes foram emitidos por autoridades de outras instituições internacionais, que assinalaram que o “desastre é iminente” no continente e que pode se transformar em uma “tempestade brutal” se medidas urgentes não forem tomadas. Já são ao todo 12 mil casos confirmados do novo coronavírus e quase 600 mortes na região até hoje (9). (Continua).

 

  O país mais afetado é a África do Sul, com cerca de 2 mil casos, seguida por Argélia, Egito, Marrocos e Camarões. À primeira vista, o número é bastante inferior ao de outros continentes e até mesmo países.

  Sistema de saúde precário Segundo projeções, o contágio na África do Sul está com um atraso de duas a três semanas em relação à Ásia e à Europa.

  Consequentemente, diferentes ONGs e instituições internacionais aconselharam os governos africanos a aplicarem medidas como o confinamento e o fechamento de suas fronteiras. Alguns deles seguiram a recomendação. (Continua).

 

  A África do Sul, por exemplo, implementou a quarentena obrigatória e anunciou que começará a fazer milhares de testes de casa em casa. A Nigéria confinou os moradores de suas duas cidades mais populosas, enquanto a Gâmbia fechou suas fronteiras. E no Quênia há um toque de recolher. No entanto, nada disso parece ser suficiente. (Continua).

 

   “Os casos estão aumentando muito, muito rapidamente”, diz a nigeriana Mary Stephen, representante da OMS na África. “Temos de quebrar a cadeia de transmissão e, quanto mais casos tivermos, mais difícil será”, diz ele à BBC Mundo. (Continua).

   “Devemos impedir que as mortes aumentem e, para isso, precisamos ser mais proativos e implementar medidas preventivas e de controle com urgência”, acrescenta. A médica explica que um dos grandes problemas que a África tem para enfrentar a pandemia é o seu precário sistema de saúde, com falta de leitos, unidades de terapia intensiva (UTI), médicos especialistas e o restante de equipamento essencial para enfrentar o vírus, como respiradores. (Continua).

 

  Outro fator a ser levado em conta é que, na África, existem muitas áreas em que falta o básico, como água e sabão, o que impossibilita lavar as mãos, a melhor prevenção contra o novo coronavírus. Segundo o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), na região subsaariana, 63% das pessoas que vivem em áreas urbanas (ou 258 milhões de pessoas) não têm acesso à possibilidade de lavar as mãos. Enquanto isso, na África Ocidental e Central, mais de um terço de todas as pessoas ainda não têm acesso a água potável. (Continua).

  Fonte: Uol. Fotos: Redes sociais e Getty Images.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *