SAÚDE

ALERTA: Cresce o número de micoses causadas por fungos em barbearias

 

O número de casos de micoses causadas pelo fungo Trichophyton tonsurans no couro cabeludo mais do que triplicou na Argentina no último ano. A principal suspeita é que o microrganismo esteja sendo transmitido em barbearias.

Segundo o jornal argentino Clarín, o problema é caracterizado pela queda de cabelo em uma área do couro cabeludo. No lugar dos fios, surge uma lesão de formato redondo, que descama e, às vezes, causa coceira.

O fungo é transmitido de humano para humano. Quando dermatologistas fazem questionamentos aos seus pacientes em busca de entender como aquela micose começou, a ida a uma barbearia tem sido uma resposta comum. Quando o paciente não foi ao estabelecimento cortar o cabelo, alguém bem próximo frequentou o espaço.

Os especialistas alertam que a falta de higienização adequada dos objetos usados nas barbearias — como máquinas de cortar cabelo, tesouras e pentes — pode estar causando a transmissão do fungo.

As lesões que começam no couro cabeludo podem se espalhar para outras partes do corpo. E o fungo pode ser transmitido por pessoas próximas. Por exemplo, dermatologistas estão atendendo meninas que não frequentaram barbearias, mas que tiveram contato com seus irmãos que foram ao espaço cortar o cabelo.

A recomendação dos especialistas é que se escolha barbearias que cumpram processos de higienização dos itens que são usados por mais de um cliente.

Tratamento

O tratamento para a micose causada pelo fungo Trichophyton tonsurans é feito por meio remédios orais e cremes tópicos. É possível também usar um shampoo que ajuda a diminuir o risco de contágio.

Os especialistas recomendam não compartilhar pentes ou aparadores de cabelo ou barba durante o tratamento.

Fonte: O Globo. Fotos: Pixabay/Clarin

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *