SAÚDE

12 VÍDEOS EMOCIONANTES – De arma na mão, Jefferson pede demissão de ministros do STF; Papa telefona para arcebispo de São Paulo; Bolsonaro diz que churrasco era fake news e tira sarro com MBL; 66% dos novos infectados de coronavírus em Nova Iorque estavam isolados em casa, diz prefeito e as principais notícias do dia

 Mais sete pessoas morreram por causa do novo coronavírus no Estado, nas últimas 24 horas. De acordo com dados atualizados neste sábado (09) no Painel Covid-19, administrado pela Secretaria de Estado de Saúde, o Espírito Santo também registrou mais 170 casos confirmados da doença em um dia. (Continua).

 

  Com isso, o Estado chega a 172 mortes e 4.412 casos confirmados de coronavírus. O índice de letalidade neste momento é de 3,7%. Por outro lado, mais 102 pessoas se curaram da doença, somando agora 1.607 curados dos sintomas da doença no Estado.

 

Com arma na mão, Jefferson pede demissão de ministros do STF

  “Estou me preparando para combater o bom combate. Contra o comunismo, contra a ditadura, contra a tirania”, diz Jefferson.

  O ex-deputado Roberto Jefferson, líder do Partido Trabalhista Brasileiro (PTB), defendeu, neste sábado (9), que o presidente da República, Jair Bolsonaro, “demita” e “substitua” os os onze ministros do Supremo Tribunal Federal (STF). (Continua).

  Em mensagens no Twitter, Jefferson classificou o Supremo como “herança maldita”:

“Bolsonaro, para atender o povo e tomar as rédeas do governo, precisa de duas atitudes inadiáveis: demitir e substituir os 11 ministros do STF, herança maldita.”

E, citando a concessão da emissora Rede Globo, acrescentou:

“Precisa cassar, agora, todas as concessões de rádio e TV das empresas concessionárias GLOBO. Se não fizer, cai.”

O presidente do PTB postou também uma foto segurando um fuzil, e afirmou que estava preparado para combater o comunismo:

“Estou me preparando para combater o bom combate. Contra o comunismo, contra a ditadura, contra a tirania, contra os traidores, contra os vendilhões da pátria. Brasil acima de tudo. Deus acima de todos.”

 

Jair Bolsonaro diz que churrasco no Alvorada era fake news

 “Alguns jornalistas idiotas criticaram o churrasco FAKE”, escreveu Bolsonaro.

  O presidente da República, Jair Bolsonaro, afirmou, neste sábado (9), que era “fake” a notícia de que faria um churrasco no Palácio da Alvorada, em Brasília.

 Em mensagem nas redes sociais, Bolsonaro compartilhou um vídeo de interação com apoiadores na parte externa da residência oficial da Presidência da República.

“Tá todo mundo convidado aqui […] Vai tá todo mundo aqui amanhã? 1.300 pessoas no churrasco”, disse Bolsonaro ao ironizar as notícias sobre o suposto churrasco. (Continua).

  Na legenda do vídeo compartilhado pelo chefe do Executivo horas atrás, Bolsonaro escreveu:

“Alguns jornalistas idiotas criticaram o churrasco FAKE, mas o MBL se superou, entrou com AÇÃO NA JUSTIÇA.”

 

‘Ataque ao STF é um ataque à Constituição’, diz Dias Toffoli num “engana que eu gosto”

 “O ataque ao Supremo Tribunal Federal é um ataque à Constituição Federal e atinge a própria democracia”, diz Toffoli.

 O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli, enfatizou que ataques contra Corte e seus ministros são “um absurdo”.

Durante videoconferência da Fecomercio-SP, nesta sexta-feira (8), Toffoli declarou:

“Toda decisão é passível de crítica, mas não se pode atacá-las ou descumpri-las. O ataque ao Supremo Tribunal Federal é um ataque à Constituição Federal e atinge a própria democracia.”

Toffoli argumentou sobre a necessidade de “união e harmonia”, mas ressaltou a importância da independência dos Poderes:

“O diálogo não significará que haverá concessão dos limites da Constituição Federal, que governa os que governam. A Constituição tem que ser nosso guia nesse tempo de dificuldades.” (Continua).

  Segundo o portal R7, Toffoli destacou que ataques ao STF alcançou dimensões maiores recentemente:

“Eram robôs, mas por trás deles têm pessoas com projetos políticos contra o Estado Democrático de Direito. Os ataques estão recomeçando agora.”

China e Rússia podem estar acelerando coordenação no campo da propaganda

  “Com essa pandemia, a cooperação se acelerou rapidamente”, diz autoridade norte-americana.

  Uma autoridade do governo dos Estados Unidos acusou, nesta sexta-feira (8), China e Rússia de aumentar sua cooperação para divulgar um relato falso da pandemia do coronavírus. (Continua).

 Em conversa com jornalistas, Lea Gabrielle, coordenadora de uma agência do Departamento de Estado, disse que Pequim está cada vez mais aplicando técnicas aperfeiçoadas por Moscou:

“Mesmo antes da crise do COVID-19, tínhamos avaliado um certo nível de coordenação entre a Rússia e a República Popular da China no campo da propaganda. Mas com essa pandemia, a cooperação se acelerou rapidamente.”

De acordo com a coordenadora, esses dois países procuram influenciar a opinião pública para gerar um relato da pandemia que sirva “a seus próprios fins”, informa a agência France-Presse.

O setor do Departamento de Estado onde Gabrielle trabalha é o Global Engagement Center.

O órgão já havia relatado em fevereiro que milhares de contas vinculadas à Rússia nas redes sociais propagavam teorias de conspiração coordenadas, segundo as quais os EUA estão por trás do surto do vírus.

Moraes (Ele mesmo) mantém suspensão da nomeação de Ramagem para chefia da PF

 O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Alexandre de Moraes, manteve, nesta sexta-feira (8), a suspensão do decreto de nomeação e a posse do delegado Alexandre Ramagem como novo diretor-geral da Polícia Federal (PF).

Em sua decisão, Moraes entendeu que a ação perdeu objeto, ou seja, não pode mais ser analisada. (Continua).

  O fato ocorreu porque, após a liminar do ministro, a Presidência da República retirou a nomeação de Ramagem, que voltou a comandar a Agência Brasileira de Inteligência (Abin), e nomeou como novo diretor-geral da PF, Rolando de Souza.

Dessa forma, o ato de nomeação de Ramagem não existe mais no ordenamento jurídico, destaca a agência EBC.

Ao suspender a nomeação, Moraes atendeu a um pedido feito pelo PDT por meio de um mandado de segurança.

Witzel recomenda ‘lockdown’ a municípios fluminenses

 Wilson l usou as redes sociais neste sábado para anunciar a prorrogação da quarentena no estado do Rio até o dia 31 de maio.

O governador afirmou ainda que, no novo decreto que será editado na próxima segunda-feira, recomendará “aos 92 prefeitos do estado que façam algum tipo de lockdown”, como medida para combater a pandemia do novo coronavírus.

  “Nosso governo vai ajudar nas ações de lockdown dos municípios com a participação dos nossos órgãos de segurança.”

 Com medo da Covid-19, Battisti pede prisão domiciliar

O terrorista Cesare Battisti entrou com um recurso pedindo a progressão para o regime domiciliar por temer a infecção por Covid-19.

  Ele cumpre pena de prisão perpétua em um presídio de Sardenha, na Itália.

Em entrevista à ANSA, o advogado Davide Steccanella afirmou:

“Ele teme o contágio. Além disso, há um ano e meio é o único em isolamento de segurança máxima em Oristiano, e desde então não vê seus familiares.”

SBT e Globo planejam retorno de programas

O SBT e a Globo estão trabalhando para retomar a produção de programas suspensos pela pandemia do novo coronavírus.

  No canal de Silvio Santos, a expectativa é pela reestreia das temporadas 2020 de “Domingo Legal”, “Programa do Ratinho” e “The Noite” a partir de 17 de maio.

Com equipes reduzidas, as três atrações retornarão sem plateia e com adaptações nos quadros – a brincadeira da torta na cara, por exemplo, será totalmente mecanizada para evitar contato físico entre os jogadores.

Depois da reestreia do “Encontro com Fátima Bernardes”, as atenções na Globo estão voltadas ao “Conversa com Bial”. O programa retorna à grade da TV no dia 18 de maio, em edições enxutas e gravadas – por videoconferência – na casa do jornalista.

Papa telefona para arcebispo de São Paulo e manifesta solidariedade

 O papa Francisco telefonou neste sábado para o arcebispo de São Paulo, o cardeal Dom Odilo Scherer.

Segundo relato escrito pelo cardeal, o sumo pontífice perguntou sobre a situação da capital paulista em relação à pandemia do novo coronavírus.

  “Perguntou como estamos em São Paulo, pois teve informações sobre a situação grave da pandemia em São Paulo. Manifestou grande preocupação pelo número crescente de doentes e pelas perdas de vidas humanas, prometendo rezar por todos”, escreveu Dom Odilo.

“Também quis saber como estão os pobres e expressou sua preocupação pela situação deles, sabendo que nem sempre eles têm casa, nem condições adequadas para seguir as medidas preventivas contra o contágio. Expressou sua proximidade e solidariedade para com toda a população de São Paulo e disse que estava orando por nós.”

 

“O imbecil convicto”

 O deputado Alceu Moreira (MDB  – foto abaixo) – condenado por improbidade administrativa em 2011 (Correio  do Povo) e investigado por crime contra Lei das Licitações e corrupção passiva (Congresso em Foco) –   usou o Twitter para alfinetar Osmar Terra, seu colega de partido:

  “O imbecil convicto: tem gente que conseguiu errar tudo que previu sobre o coronavírus, mas continua com ar triunfante afirmando que está certo. Tenha dó”, afirmou.

O ex-ministro da Cidadania, que não tem boas relações com as lideranças do MDB, corre o risco de ser expulso do partido se não migrar para a Aliança pelo Brasil.

 

 Manifestantes  praticam ‘tiro ao alvo’ contra Moro

 No ato dos brasileiros  deste sábado (9)  em frente ao Palácio da Alvorada, os manifestantes praticaram “tiro ao alvo” com balões de água em um banner com as fotografias dos “inimigos” de Jair Bolsonaro.

  Sergio Moro é o novo alvo do bolsonarismo e aparece no cartaz ao lado de João Doria, Joice Hasselmann, Wilson Witzel e Alexandre de Moraes.

 

SUICÍDIOS POR LOKDOWN MATARÃO DEZ VEZES MAIS QUE CORONAVÍRUS NA AUSTRÁLIA, INFORMA ESTUDO

 A matéria, originária do jornal australiano e que foi repassada em primeira mão pelo Breitbart News, esclarece que “pesquisadores do Brain and Mind Center da Universidade de Sydney preveem um aumento de 50% na taxa nacional de suicídios por causa do impacto econômico e social das respostas do governo ao vírus, o que elevaria as mortes até dez vezes mais do que as causas do próprio coronavírus.” (Continua).

 

  Segundo a projeção dos pesquisadores, o número crescente de suicídios ainda será sentido nos próximos anos, sendo que “a resposta ao coronavírus pode produzir uma crise geracional de saúde mental, resultando em mais 1500 mortes por ano nos próximos cinco anos.”

“A previsão da universidade recebeu apoio da Associação Médica Australiana, e o ministro da Saúde Greg Hunt deve apresentar os resultados na reunião do gabinete nacional na próxima semana”, informou o Breitbart. (Continua).

 

  O professor Ian Hickie, líder do “Brain and Mind Center” da Universidade de Sydney, disse que “estamos diante de uma situação em que entre 750 e 1500 suicídios extras podem ocorrer anualmente, além das mais de 3000 vidas que são perdidas por suicídio todos os anos.”

Além do forte aumento do número de suicídios, a pesquisa também prevê consequências econômicas brutais em razão da produtividade reduzida, desemprego, abandono escolar e crises familiares, contribuindo para a deterioração da saúde mental. (Site: bombeirosdf).

 

Coronavírus: Prefeitura de João Pessoa proíbe feiras livres e acesso a praças

Capital também recebe 40 novos leitos para pacientes com coronavírus.

O prefeito de João Pessoa, Luciano Cartaxo, anunciou na manhã deste sábado (9), novas medidas para enfrentamento do coronavírus na capital.

  Entre as determinações do novo decreto que endurecem o distanciamento social, está o fechamento de feiras livres, a proibição do acesso às praças públicas da cidade, a obrigatoriedade do trabalho home office de profissionais liberais e do uso de máscaras. Também foi anunciada a implantação de 40 novos leitos para pacientes com a Covid-19.

 

 

Moro dará informação a comissão da OAB que avalia impeachment de Bolsonaro

Ex-ministro concordou em prestar esclarecimentos sobre interferência na PF a grupo que analisa se houve crime de responsabilidade do presidente

 O ex-ministro Sergio Moro prestará esclarecimentos à Comissão de Estudos Constitucionais da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), que estuda se o Jair Bolsonaro tentou, de fato, interferir indevidamente na Polícia Federal, e, assim, cometeu crime de responsabilidade. O parecer da comissão é um dos passos necessários para que a entidade decida se deve ou não entrar com um pedido de impeachment contra o presidente na Câmara dos Deputados.

 

  Além de Moro, a comissão da OAB também enviou ofício ao presidente da República para que ele também possa se manifestar e se defender das acusações. Ambos foram intimados em 29 de abril e têm 10 dias para se manifestar, caso queiram, pois não são obrigados. Até agora, apenas o ex-juiz respondeu à intimação. Nesta sexta-feira, 8, Moro afirmou por e-mail que se manifestará no prazo, que termina na próxima quarta-feira 13. (Veja).

 

66% dos novos infectados de coronavírus em Nova Iorque estavam isolados em casa

 Quarentena do governador Andrew Cuomo, que defendeu lockdown nacional, falhou. Lá como cá

O governador de Nova Iorque Andrew Cuomo concedeu uma entrevista coletiva ontem, 6, mostrando dados sobre a quarentena total na cidade devido ao coronavírus.

  Nova Iorque é a cidade mais afetada pelo virus chinês na América: 320 mil casos confirmados e 20 mil mortes.

Cuomo, que é um forte defensor da quarentena total, resolveu tomar as medidas de confinamento para conter o avanço da doença. Porém, na entrevista coletiva, afirmou que 66% dos novos casos de coronavírus vieram de pessoas que estavam totalmente isoladas em seu lares.

Jornalista de O Globo compara Sérgio Camargo com cadela russa. 

 

 Ancelmo Gois, de O Globo, comparou a cadela Koni, de Putin, que usou o animal para constranger Angela Merkel. Gois contou, segundo o site jornaldacidadeonline, que o presidente Bolsonaro – o Chefe de Estado mais perseguido na história do Brasil  –  convidou Sérgio Camargo (negro, de Direita e presidente da Fundação palmares, na foto com Bolsonaro) para almoçar com Regina Duarte e sua equipe. Jornalista de O Globo compara Sérgio Camargo com cadela russa. É crime!

 

 Governador de São Paulo entra na mira do Ministério Público

 MPSP abre inquéritos para investigar compras de equipamentos feitas por Dória.

 

  O Ministério Público de São Paulo abriu cinco inquérito para investigar possíveis irregularidades cometidas pelo governo de São Paulo, comando por João Dória (PSDB), na aquisição de equipamentos hospitalares durante a pandemia de coronavírus.

Serão investigados os contratos para compra de máscaras, aventais e oxímetros. (Site Brasil sem medo).

 Hospitais estão à beira da falência por falta de pacientes

  A rede de hospitais particulares e filantrópicos do Paraná registrou queda histórica de até 80% nos atendimentos emergenciais, internações, consultas e exames. Hospitais vazios, leitos ociosos, centros cirúrgicos parados, esse é cenário causado pela pandemia – e pelo pandemônio político-midiático.

Quem assiste ao noticiário da TV ou às cheerleaders do vírus nas redes sociais, imagina que cada hospital do país está apinhado de doentes, que há moribundos nos corredores, asfixiados lutando por um respirador, que, enfim, o sistema de saúde está por colapsar.

E, se, fora do círculo de histeria, alguém lhe dissesse que na vida real tem hospitais falindo por falta de paciente?

É isto que está acontecendo com os hospitais privados e filantrópicos do estado do Paraná. Por conta da pandemia – e do pandemônio político-midiático – a rede particular do estado registrou queda histórica de até 80% nos atendimentos emergenciais, internações, consultas e exames, segundo dados da Federação dos Hospitais e Estabelecimentos de Saúde do Estado do Paraná (Fehospar).

A baixa se explica por dois motivos.

Primeiro porque os hospitais, ao soar da trombeta apocalíptica, se organizaram para receber quase que exclusivamente os infectados pelo vírus chinês. Montou-se verdadeiras forças-tarefas, investiu em aparelhagem e EPIs, reservou-se tantos por cento dos leitos para receber as vítimas da pandemia, vítimas que, no final das contas, não vieram, ou não vieram aos montes como se alardeava.

O Paraná tem cerca de 11 milhões de habitantes e até hoje soma pouco mais de mil infectados e 107 mortes por COVID-19, de acordo com o Portal da Transparência dos Registros Civis. Dos falecidos, conta-se 14 em Londrina (485 mil hab.) e 29 em Curitiba (1,8 mi hab.). Nada que tenha alterado os índices anuais de mortes por doenças respiratórias.

Com efeito, de acordo com Flaviano Feu Ventorim, que é o diretor da FEMIPA (Federação das Santas Casas de Misericórdia e Hospitais Beneficentes do Estado do Paraná), os hospitais da rede que ele administra estão com ocupação de apenas 45%, variando para pouco mais ou pouco menos. Ou seja, estão subutilizados.

Na visão de Ventorim, a situação é dramática:

“Um hospital demora em média 60 dias para receber uma conta hospitalar, e comprava a prazo para pagar com 30 dias. Com a pandemia, o faturamento despencou, o custo fixo continuou, e o custo variável, em parte diminuiu e em parte subiu, como é o caso dos EPIs, que explodiu, caso de máscaras cirúrgicas e aventais. Esses itens, além de terem aumentado o preço, agora tem que ser pagos antecipado. Isso prejudicou o fluxo de caixa dos hospitais. Foi solicitado às operadoras uma reanálise dos custos nesse período, mas até o momento não há avanços”.

Alertando para o fato de que o faturamento dos hospitais deve cair 60% nos próximos meses, Ventorim, que também preside o Sindicato dos Hospitais e Estabelecimentos de Saúde do Paraná (Sindipar), asseverou:

“Vamos passar rapidamente de heróis da pandemia a vilões, porque teremos que demitir, fechar”.

O segundo motivo para o esvaziamento da rede hospitalar privada é o medo. Temendo ir aos hospitais e acabar contraindo ali o coronavírus, as pessoas estão abrindo mão de tratamentos, não estão indo se consultar quando adoecem, portanto não estão fazendo os exames, por conseguinte não estão se internando. O medo do vírus fez a máquina da saúde emperrar.

No entanto, segundo Cecília Vasconcelos, diretora técnica do Hospital São Vicente, o temor é injustificado:

“Há segurança no atendimento e acima de tudo, muitos tratamentos de doenças não podem esperar.  O hospital não pode parar e nunca parou. Já lá no início da pandemia tomamos medidas estruturais impactantes no sentido de proporcionarmos segurança de atendimento tanto para o paciente quanto para nosso colaborador. O hospital está aberto e apto para tratar inclusive os pacientes com doenças não relacionadas à Covid”.

 

Hospital São Francisco, em Cambé: Um caso para ilustrar

Conversando com Tiago Casemiro, conselheiro de finanças do Hospital São Francisco, em Cambé, norte do Paraná, ele me revelou que a situação ali segue o mesmo padrão. Município com pouco mais de 100 mil habitantes, Cambé, afirmou ele, conseguiu achatar a curva epidemiológica, e, até agora, registrou apenas um óbito atribuído à COVID-19 – cenário muito semelhante ao das demais cidades do interior do estado.

Mesmo assim, observou Tiago, a população segue amedrontada e tem evitado os serviços hospitalares. E as que o buscam, tem encontrado empecilhos burocráticos, como a recusa de alguns convênios a autorizar cirurgias eletivas, seguindo indistintamente uma recomendação genérica da OMS.

“Mesmo com entendimento entre médicos e pacientes de que seria seguro fazer o procedimento, alguns convênios estão relutando em autorizar as cirurgias”.

Resultado: queda da receita do hospital em 60%, o que já levou à demissão de 6 dos 165 funcionários.

E esta queda, além de motivada pela baixa procura da população, tem como causa o aumento nos custos de manutenção dos serviços. Isto porque o preço dos insumos, sobretudo daqueles ligados ao combate à epidemia, aumentou vertiginosamente.

Segundo o Tiago, em dado momento, as máscaras hospitalares, que custam em média R$ 0,11 (onze centavos), chegaram a valer abusivos R$ 16 (dezesseis reais). E altas semelhantes foram registradas nos preços dos EPIs em geral e em vários medicamentos – itens que nenhum hospital pode dispensar.

Quer dizer, tem-se ao mesmo tempo uma queda abrupta na receita e uma subida significativa nos custos. É a fórmula básica para a falência de qualquer estabelecimento comercial.

Não bastasse o quadro desolador, agrava a situação perceber que, como diria o Shakespeare, fez-se muito barulho por nada.

Perguntado sobre qual era a expectativa quando do início da pandemia, Tiago me disse que, de acordo com os estudos e as notícias, esperava-se nada menos que uma catástrofe. Prometia-se o colapso no sistema de saúde, hospitais lotados, necessidade de se construir, às pressas, centenas de novos leitos de UTI.

Essa era a expectativa. A realidade é que de março até agora o Hospital São Francisco recebeu apenas 5 infectados com a COVID-19. Destes, apenas 4 precisaram de internação. Nenhum foi para a UTI, que está com seus 6 leitos completamente vagos.

Por conta dessa situação delicada, o Hospital está promovendo a campanha “Livro de Ouro”, cujo fim é arrecadar verbas junto à comunidade para manter as operações básicas da instituição.

“O Livro de Ouro é um documento histórico usado para coletar assinaturas e a contribuição financeira de pessoas que desejam ajudar em uma causa. Cada cidadão que fizer uma doação ao hospital, que pode iniciar com apenas R$ 10, terá o nome registrado no livro”, diz o documento para divulgação da campanha.

E acrescenta Tiago Casemiro, no mesmo documento:

“Os recursos arrecadados serão destinados ao pagamento dos honorários médicos e contratos de serviços terceirizados, compra de equipamentos de proteção individual (EPI), materiais de escritório, higiene e limpeza, e alimentos”.

Vale ressaltar que embora concorde que seja fundamental a pronta retomada das atividades econômicas, Casemiro alerta para a necessidade de que a reabertura obedeça às precauções preventivas, como o uso de máscaras em estabelecimentos e transporte público, a utilização do álcool em gel e o respeito ao distanciamento social, quando for possível.

Para quem quiser doar para o Hospital São Francisco, que está em vias de se tornar uma instituição filantrópica, segue os dados:

Banco do Brasil: 001

Agência: 0768-4

Conta Corrente: 19938-9

Nome: São Francisco Instituto Vida

CNPJ: 07.142.188/0001-51

(Fonte: Site Brasil Sem Medo).

 

AGU entrega vídeo de reunião de Bolsonaro com Moro

  A Advocacia Geral da União entregou hoje ao Supremo a íntegra do vídeo da reunião ministerial de 22 de abril em que Jair Bolsonaro teria ameaçado demitir Sergio Moro.

 

Mais de mil mortes no Ceará

O Ceará ultrapassou a marca de mil mortos por Covid-19 neste sábado, com 1.040 óbitos.

 Segundo a Secretaria de Saúde do Estado, são registrados no momento 15.422 casos confirmados da doença.

São Paulo registra menor índice de isolamento desde 20 de março

Segundo dados divulgados hoje pelo Sistema de Monitoramento Inteligente (SIMI) do governo paulista, o isolamento social no estado de São Paulo caiu para 46% na sexta-feira.

Trata-se do menor índice de isolamento desde o dia 20 de março, quando o estado registrou 44% de isolamento.

Na capital paulista, a taxa foi de 45%.

 

Número de mortes em Nova York segue estável

 Em 24 horas, o estado de Nova York registrou 226 mortes por Covid-19.

  As mortes diárias no estado permanecem estáveis ​​na casa dos 200 há mais de uma semana. No dia anterior, foram registrados 216 óbitos.

No total, já são mais de 21 mil mortes em Nova York.

 França registra o menor número de mortes em mais de um mês

Nas últimas 24 horas, a França registrou 80 mortes por Covid-19.  Trata-se do menor número diário desde o início de abril.

Com isso, o país contabiliza o total de 26.310 óbitos.

O número de pacientes em estado grave também diminuiu em 56 casos de ontem para hoje. Fontes: O Antagonista, Renova Mídia, G1 e a Tribuna ES. Fotos: Renova Mídia e Redes sociais.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *