SAÚDE

10 VÍDEOS IMPACTANTES – Só em duas cidades de SP 400 presos deixam prisões; No Ceará cidade que tem maior foco de “Vírus Chinês” vem de comunidade religiosa; RS investiga advogados por supostos atestados falsos para soltar presos; Bolsonaro estuda flexibilizar isolamento em cidades médias e pequenas e as últimas notícias sobre o tema no Brasil e no mundo

Bolsonaro estuda flexibilizar isolamento em cidades médias e pequenas

  Jair Bolsonaro estuda flexibilizar o isolamento social em cidades médias e pequenas com baixo índice de casos da Covid-19, diz O Globo.

  “Auxiliares de Bolsonaro dizem que a ideia é que o próprio Ministério da Saúde estabeleça os critérios, que garanta segurança à vida da população e dê respaldo aos governantes locais. Ainda não está definido se o melhor caminho seria um decreto presidencial ou uma medida provisória.”

  Na última quinta-feira, o presidente afirmou que poderia assinar um decreto para afrouxar o isolamento social nos estados.

 Mais cariocas nas ruas

  Segundo levantamento da CyberLabs, que vem monitorando diariamente a circulação de pessoas no Rio de Janeiro, os cariocas foram mais às ruas nesta semana do que na passada. (Continua).

 

  Em comparação com a média histórica, a semana passada havia registrado uma queda de 85% na circulação; nesta semana, a variação foi de 80%.

  “Os dados sugerem que o número de pessoas em isolamento social caiu, especialmente em bairros como Botafogo, Ipanema, Leblon e Copacabana, que vêm apresentando menor adesão à recomendação de ficar em casa na comparação com outros locais desde o início do contexto da Covid-19”, disse ao Globo o engenheiro mecatrônico Felipe Vignoli, sócio-fundador da Cyberlabs. (Continua).

  CRM-MT recomenda suspensão dos atendimentos e de cirurgias em hospitais particulares para priorizar pacientes com Covid-19

Não devem sofrer restrição os atendimentos ambulatoriais de acompanhamento de doenças crônicas, as cirurgias oncológicas e cardiovasculares, além dos atendimentos de urgência e emergência.

O Conselho Regional de Medicina do Estado de Mato Grosso (CRM-MT) recomendou que as unidades privadas de assistência à saúde suspendam pelos próximos 15 dias os atendimentos ambulatoriais e os procedimentos cirúrgicos eletivos na rede, a fim de que as equipes de saúde e a estrutura física da instituição estejam disponíveis ao atendimento prioritário dos casos de contaminação pelo novo coronavírus. (Continua).

 

  Os diretores técnicos e diretores clínicos das unidades privadas, bem como o secretário estadual de Saúde , Gilberto Gomes de Figueiredo, foram notificados nesta sexta-feira (3).

A presidente do CRM-MT, Dra. Hildenete Monteiro Fortes, ressalta que o “enfrentamento ao Covid-19 é complexo e demanda esforço conjunto de todos os membros da sociedade”.

 Governo da Bahia prorroga até 15 de abril suspensão do transporte intermunicipal; veja lista de cidades

Novo decreto foi publicado na edição deste sábado (4) do Diário Oficial do Estado.

  O governo da Bahia prorrogou até 15 de abril o decreto que suspendeu o transporte intermunicipal em algumas cidades do estado. O novo decreto foi publicado na edição deste sábado (4) do Diário Oficial do Estado.

 A medida, que tem como objetivo conter o avanço da contaminação por coronavírus na população baiana, estava programada até 5 de abril, mas foi estendida por mais 10 dias por determinação do governador Rui Costa.

 Na publicação deste sábado, foram incluídas na lista de cidades com o transporte intermunicipal suspenso: Conde, Uruçuca, Itapetinga, Conceição do Coité e Utinga na medida restritiva. Nestas cinco cidades, a suspensão terá início a partir de domingo (5).

 Confira lista de cidades com transporte municipal suspenso

  1. Salvador

  2. Feira de Santana

  3. Porto Seguro

  4. Prado

  5. Lauro de Freitas

  6. Simões Filho

  7. Vera Cruz

  8. Itaparica

  9. Itabuna

  10. Ilhéus

  11. Itacaré

  12. Camaçari

  13. Luís Eduardo Magalhães

  14. Barreiras

  15. Bom Jesus da Lapa

  16. Guanambi

  17. Vitória da Conquista

  18. Santa Maria da Vitória

  19. Correntina

  20. Entre Rios

  21. Jequié

  22. Brumado

  23. Conceição do Jacuípe

  24. Juazeiro

  25. Teixeira de Freitas

  26. Nova Soure

  27. São Domingos

  28. Canarana

  29. Ipiaú

  30. Itagibá

  31. Itamaraju

  32. Itororó

  33. Pojuca

  34. Dias D’Ávila

  35. Alagoinhas

  36. Barra

  37. Candeias

  38. Coaraci

  39. Itajuípe

  40. Medeiros Neto

  41. Santa Cruz Cabrália

  42. Barra do Rocha

  43. Eunápolis

  44. Belmonte

  45. Conde

  46. Uruçuca

  47. Itapetinga

  48. Conceição do Coité

  49. Utinga

  Ficam suspensas nesses municípios a circulação, a saída e a chegada de qualquer transporte coletivo intermunicipal, público e privado, rodoviário e hidroviário, nas modalidades regular, fretamento, complementar, alternativo e de vans.

 Em algumas cidades sem casos de coronavírus, o sistema de transporte intermunicipal foi suspenso porque está integrado ao de municípios com registros da doença.

CE: Cidade com maior índice de coronavírus tem foco em comunidade religiosa (foto)

  O município de Aquiraz, na Região Metropolitana de Fortaleza, está convivendo com um número elevado de casos de covid-19, doença causada pelo novo tipo de coronavírus. O município de 80 mil habitantes, famoso por ser sede do Beach Park, registra a maior média de casos por morador do estado, que sua vez lidera o número de vítimas do coronavírus no Nordeste: 627 ao todo. Na cidade são 14 casos já confirmados, sendo 12 deles entre integrantes da comunidade católica Shalom.

Ao UOL, a Shalom informou que os primeiros casos foram registrados no dia 21 de março —um dia depois de o Estado declarar transmissão comunitária do coronavírus. Em nota, a comunidade explica todas as pessoas infectadas pelo novo coronavírus estão em isolamento e contam com o acompanhamento de um infectologista.  A comunidade ainda explica que, ao contrário do que foi informado “não realizou nenhum evento internacional em Aquiraz ou em Fortaleza neste ano, nem contou em qualquer dos seus eventos realizados este ano com convidados estrangeiros.”

Com 809 mortes em 24 horas, Espanha tem segunda redução consecutiva de óbitos

 No total, 11.744 pessoas morreram por coronavírus no país; até o momento, foram diagnosticados 124.736 casos da Covid-19 no país

  A Espanha registrou 809 mortes por coronavírus nas últimas 24 horas, o que representa a segunda redução consecutiva nos balanços diários de óbitos, após os 950 falecimentos registrados na quinta-feira (2) – apontam os números oficiais publicadas neste sábado (4). (Continua).

 

  No total, 11.744 pessoas morreram por coronavírus na Espanha, o segundo país do mundo com maior número de óbitos depois da Itália. Até o momento, foram diagnosticados 124.736 casos da Covid-19.

 Coronavírus: MP-SP pede que Doria e Covas revertam indústria para produzir respiradores

  O Ministério Público de São Paulo enviou recomendação ao prefeito da capital, Bruno Covas (PSDB), e ao governador do Estado, João Doria (PSDB) cobrando a reversão imediata da indústria para a produção de equipamentos de proteção, respiradores, insumos hospitalares e matérias-primas para testes do novo coronavírus.

 O ofício foi assinado por oito promotores da Promotoria de Justiça de Direitos Humanos, que também recomendam a garantia de aporte financeiro para estabelecer o preço que o Estado pagará pelos itens e uma reunião com o presidente da Federação das Indústrias de São Paulo (Fiesp) para criação de um banco de empresas com cotas de fornecimento dos produtos necessários.

 Coronavírus: No pior cenário, 10 mil presos podem precisar de UTI no Brasil

  Pelo menos dez mil presos podem precisar de internação em unidades de terapia intensiva (UTI) em hospitais de todo o país, devido a complicações decorrentes da covid-19, caso se repita no Brasil o mesmo cenário de propagação da doença observado em países asiáticos e europeus. “Tomando como referência os acontecimentos nos países asiáticos e europeus, se o cenário de lá se repetir no Brasil, estima-se que 80% da população carcerária seja contaminada pelo vírus, a maioria de forma branda ou assintomática; desses, estima-se que cerca de 20% pode precisar de internação e que desses, estima-se que 8% pode precisar de leito de UTI”. (Continua).

 

  A afirmação é da juíza Leila Cury, da Vara de Execuções Penais do Distrito Federal, em ofício enviado ao ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal. Os percentuais citados pela magistrada são baseados em informações técnicas do infectologista Luiz Antônio Teramussi, membro das equipes de saúde prisional da Secretaria da Saúde do Distrito Federal. Lá, um agente penitenciário que trabalha na Papuda recebeu ontem diagnóstico positivo para covid-19.

  Números desencontrados Segundo números oficiais divulgados pelas autoridades, não há diagnóstico de coronavírus entre detentos até o momento. Porém, começam a surgir relatos sobre presos internados em hospitais com problemas respiratórios em diversos estados e de mortes cujas causas não foram identificadas. Informações desencontradas divulgadas pelos órgãos prisionais indicam também uma possibilidade de subnotificação que poderia chegar a níveis alarmantes.

  Presos com problemas respiratórios já ocupam leitos de UTI. Pelo menos um detento da Penitenciária I de Mirandópolis, no interior paulista, ficou internado em um leito do tipo no hospital público da cidade, entre os dias 17 e 30 de março, informou um juiz paulista em ofício ao ministro Lewandowski. Ele permanece isolado na enfermagem até que o resultado do exame para covid-19 seja conhecido. Há outros três sentenciados na cidade que foram internados no mesmo hospital. A SAP (Secretaria de Administração Penitenciária) de São Paulo informou que 86 servidores foram afastados por suspeita de coronavírus e que não há caso confirmado entre presos e funcionários do sistema.

 PUC e Fiocruz estimam 41 mil casos de coronavírus no Brasil até dia 20

 O Brasil deverá ter 41 mil casos de covid-19 até o dia 20 de abril, segundo novo levantamento do Núcleo de Operações e Inteligência em Saúde (Nois), que reúne pesquisadores da PUC, da Fiocruz e do Instituto D’Or. Num cenário otimista, o número seria de 35.298. Num cenário pessimista, a evolução seria pior do que a observada na Itália e na Espanha e chegaria a 60 mil casos. O País tem, nesta sexta-feira, 9.059 confirmados.

  Se as medidas de isolamento forem suspensas ou se a adesão da população diminuir muito, o Brasil pode seguir o cenário dos Estados Unidos, chegando a 267 mil casos, que seria o pior cenário. Em todos os cenários, a epidemia está em crescimento. Mas, alertam os pesquisadores, a eficácia das medidas de contenção adotadas nas últimas semanas pode influenciar na desaceleração das taxas nos próximos dias.

  O número total de casos registrado nesta sexta-feira já indica uma taxa de crescimento menor do que a de outros países analisados. No estado de São Paulo, que reúne 44% dos casos no Brasil, as projeções para o próximo dia 20 variam de 11.154 a 26.777. No Rio, a variação seria de 3.156 a 7.576.

 Polícia do RS investiga advogados suspeitos de usar a pandemia para liberar presos com atestados falsos

   A Justiça concedeu prisão domiciliar a um preso que teria diabetes, comprovada através de um atestado médico. Segundo a polícia, em uma gravação que circula em um grupo de aplicativo, o advogado diz que o atestado é falso.

  A polícia do Rio Grande do Sul está investigando advogados que teriam se aproveitado da pandemia para liberar presos com atestados médicos falsificados.

 A Justiça do Rio Grande do Sul concedeu prisão domiciliar a Michel Garcia Colpes no dia 23 de março. No despacho, o juiz diz que ele faz parte do grupo de risco por ter diabetes, comprovada através de um atestado médico. Segundo a polícia, em uma gravação, que circula em um grupo de aplicativo de mensagens, o advogado Leandro Horstmann diz que o atestado é falso.

 “Apresentamos um laudinho frio, frio, friozinho, lá do Hospital de Clínicas, mas bem feitinho ali, de diabetes, que ele tinha diabetes”, revela o advogado.

 A suspeita de fraude fez a Justiça de Camaquã revogar a prisão domiciliar. Michel Garcia está foragido. Em outra conversa, no mesmo grupo, um suposto preso diz a outro advogado que também quer sair.

 ”Eu estou procurando advogado que eu pague para fazer isso daí, para fazer o pedido e bote o laudo e me coloque na rua”, é possível ouvir.

 “Eu peguei sete processos e consegui tirar seis clientes. Eu estou passando a minha conta para os clientes, os clientes estão fazendo transferência, eu já entro com o pedido”, explica o advogado.

 Prefeitura de Palmas apaga luzes de áreas públicas para evitar aglomerações

Medida foi adotada após moradores desrespeitarem regras do isolamento. A iluminação foi desligada na Praia da Graciosa, no Parque dos Povos Indígenas e no Ginásio Ayrton Senna.

 A Prefeitura de Palmas decidiu desligar a iluminação em algumas áreas públicas da cidade após os moradores desrespeitarem as medidas de isolamento e formarem aglomerações nos locais. Nesta sexta-feira (3) a Praia da Graciosa, o Parque dos Povos Indígenas e a área no entorno do Ginásio Ayrton Senna já estavam no escuro.

  A gestão confirmou que se trata de uma medida de prevenção ao novo coronavírus, para evitar que os moradores acabem colocando a própria saúde em risco ao se juntar para praticar exercícios nestes locais. (Continua).

 

  Ainda não está definido por quanto tempo as luzes vão ficar apagadas. O Parque Cesamar, que fica no centro da cidade, não precisou passar pela mesma medida porque tem portões de entrada que já estavam ficando fechados.

  As medidas de isolamento social são apontadas pela Organização Mundial da Saúde (OMS) como a melhor forma de evitar a propagação do coronavírus. Palmas está com 10 casos confirmados da doença segundo o boletim emitido nesta sexta-feira (3). A cidade investiga mais de 600 casos suspeitos de Covid-19.

 Mais de 400 presos da região deixam sistema prisional por conta do coronavírus

 Decisão, no entanto, foi contestada pelo Ministério Público do Estado de São Paulo (MP-SP). Promotora afirma que Conselho Nacional de Justiça não levou em conta que não foram registrados casos de coronavírus em presos.

 Mais de 400 presos da região ganharam liberdade após uma recomendação do Conselho Nacional de Justiça por conta da pandemia de coronavírus. A decisão, no entanto, foi contestada pelo Ministério Público do Estado de São Paulo (MP-SP).

 Os 413 detentos são de unidades prisionais de Sorocaba, Mairinque, Iperó, Porto Feliz, Votarantim, Capela do Alto, Itapetininga e Guareí.

 A promotora do Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado de São Paulo (Gaeco), Maria Aparecida Castanho, afirmou que a decisão não levou em conta que não foram registrados casos de coronavírus em presos.

 “Não se está levando em conta que no sistema prisional do estado não há nenhuma contaminação da Covid-19, em nenhum preso, mas essa informação não está sendo divulgada”, disse a promotora.

 Ela disse que 1.578 presos foram colocados em liberdade entre 20 de março e 1 de abril. “Nos causa bastante temeridade pelo que a sociedade pode sofrer com isso, não só pelo colapso no sistema de saúde, como também a possível prática de ilícitos por esses presos”, explicou Maria Aparecida.

 Em 17 de março o conselho estabeleceu diversos critérios para prisão domiciliar, como presos com mais de 60 anos, com doenças crônicas e que cometeram crimes sem violência ou ameaça grave.

 Coronavírus pode replicar-se na boca e nariz durante uma semana antes de infetar pulmões

O estudo, citado pelo Observador e cujas conclusões foram publicadas na quarta-feira na Nature, envolveu nove pacientes com Covid-19 que foram acompanhados num hospital em Munique, Alemanha, em janeiro deste ano.

  Os autores do estudo – já revisto pelos pares -, frisaram que o número de pacientes vistos é pequeno, sendo necessário estudar e seguir mais pessoas, durante mais tempo. Ainda assim, a amostra permitiu tirar algumas conclusões recorrendo aos materiais biológicos recolhidos no nariz, boca, catarro, sangue, urina e fezes.

  De acordo com o artigo, as amostras recolhidas no nariz e faringe dos doentes com uma zaragatoa – entre o primeiro e o quinto dia de sintomas -, tinham, em média, 676 mil cópias da informação genética do vírus. No máximo, encontraram-se 711 milhões de cópias numa só zaragatoa.

 A equipa, liderada por Christian Drosten, especialista em novos agentes patológicos virais, indicou que estes valores chegam a ser mil vezes superiores aos registados durante a epidemia da síndrome respiratória aguda grave (SARS), em 2003. Este vírus tem também uma grande capacidade de se replicar quando ainda está na boca, nariz ou garganta.

  Nalguns casos, estas cópias da informação genética do vírus só deixaram de ser detetadas ao fim de 28 dias nas zaragatoas, mesmo com os pacientes já sem sintomas. Nas fezes, essas cópias persistem durante 18 dias, em média, ou até 26. A equipa recolheu ainda amostras que sugerem que o coronavírus consegue replicar-se no trato gastrointestinal.

  Isso “coloca as estratégias de contenção da Covid-19 em perspetiva. Estas descobertas sugerem uma transmissão mais eficiente de SARS-CoV-2 no momento em que os sintomas ainda são leves e típicos de infeção do trato respiratório superior”, descreveu a equipa.

 Ações brasileiras acumulam queda de cerca de 50% no ano nos EUA

Empresas embutem o risco de um país emergente, além da pandemia do coronavírus.

   (Matheus Piovesana / Estadão Conteúdo) Com a forte reprecificação de ativos vista nas bolsas internacionais no primeiro trimestre deste ano, as ações brasileiras negociadas em Nova York caem perto dos 50% no ano. As bolsas americanas também recuaram, mas a pandemia da Covid-19 somada ao “risco” que o Brasil embute por ser um País emergente gera pressão ainda maior sobre os papéis de XP, Stone e PagSeguro.

  Até a tarde de quinta (2), a XP tinha a maior queda entre as três, de mais de 55%. A Stone perdia, no ano, mais de 49%, e a PagSeguro, mais de 44%. Comparativamente, o índice Nasdaq cai cerca de 17% no mesmo período. Por outro lado, o iShares MSCI Brazil (EWZ), maior fundo de índice (ETF) brasileiro na Bolsa de Nova York (Nyse), cai quase 52%.

 O que mais tem pesado é a preocupação macroeconômica diante do agravamento da pandemia da Covid-19. Com bancos internacionais prevendo quedas significativas no Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro neste ano, o impacto sobre os negócios das três companhias é acompanhado de perto por quem negocia suas ações lá fora.

“O EWZ caiu bem mais que os índices americanos porque compila ações de um país emergente, que traz mais receios ao investidor”, afirma William Alves, estrategista-chefe da corretora Avenue, direcionada a brasileiros que investem nas bolsas americanas. Ele faz uma comparação: mesmo que a economia americana também tenha forte contração neste ano, as grandes companhias dos Estados Unidos teriam fundamentos mais sólidos, como caixa, para atravessar a crise do que as brasileiras.

 Para a XP, pesam dois fatores. O primeiro são as ações coletivas (class actions) que a empresa tem sofrido em solo americano. Praticamente idênticas, essas ações questionam pontos da contabilidade da corretora. Embora a XP tenha dado uma resposta vista como sólida pelo mercado para o tema, isso produz um movimento de venda do papel.

 A volatilidade do mercado de ações também pode atingir o negócio da empresa. Para o UBS, os ativos sob custódia (AuC, na sigla em inglês) podem ser pressionados. O banco também vê a possibilidade de um aumento de retiradas por parte dos clientes, e acredita que uma maior demanda por produtos de renda fixa pode reduzir retornos aos acionistas da XP.

Pagamentos paralisados

 Para PagSeguro e Stone, os desafios são outros: dependentes do setor de serviços, as duas são impactadas pela paralisação de muitas atividades para evitar a disseminação do coronavírus. Mas os efeitos são diferentes.

 Casas de análise apontam que a PagSeguro é mais dependente de pequenas e médias empresas (PME) e de microempreendedores do que a concorrente. O Credit Suisse, por exemplo, estima que 80% do volume capturado pelas maquininhas da PagSeguro vem desse tipo de cliente. Na Stone, a proporção é calculada em 65%.

 Outro fator que o mercado tem levado em consideração para as duas são as despesas fixas e variáveis. O BTG Pactual afirma, por exemplo, que a PagSeguro tem mais despesas variáveis do que a Stone, especialmente em marketing, além de menos funcionários, o que lhe daria maior flexibilidade. Entretanto, o banco considera que ambas devem seguir ganhando participação de mercado mesmo com a crise.

 Em geral, as casas continuam otimistas com ambas as empresas, mas ainda assim, suas estimativas estão mais conservadoras. Diante do cenário trazido pela Covid-19, o Credit cortou o preço-alvo da ação da Stone de US$ 46 para US$ 26 nesta semana. O Citi, por sua vez, reduziu o valor esperado para a ação da PagSeguro de US$ 50 para US$ 33. Em comum, os dois bancos esperam um maior custo de capital para as empresas, dado o maior risco que o Brasil representa em um momento de temores com a economia global. Fontes: Zap Aeiou, Einvestidor, G1, O Tempo, Uol, O Antagonista, Estadão Conteúdo e redes sociais. Fotos: Redes sociais, Facebook e Twitter. E sigam as orientações da prefeitura de sua cidade,do MP, do juíz, das autoridades sanitárias e das gloriosas PC, PN, GM e PF.

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *