Política

Secom do Governo Federal firma parceria com Conselho Nacional de Saúde para combater notícias falsas

Ministro Paulo Pimenta considera que sites que disseminam fake news devem ser punidos.

 O ministro-chefe da Secretaria de Comunicação Social (Secom) da Presidência da República, Paulo Pimenta, recebeu o presidente do Conselho Nacional de Saúde, Fernando Pigatto, na tarde desta quinta-feira (19/01). No encontro, debateram a construção de parceria para combater a disseminação de notícias falsas na área da saúde. “Essa é a primeira parceria de combate às fake news que a Secom vai consolidar”, anunciou o ministro.
Para Pimenta, as consequências provocadas pela disseminação de falsas informações são sérias. Na área da Saúde, o problema é ainda mais grave. “Acompanhamos durante a pandemia a quantidade de notícias mentirosas que circularam e, recentemente, informações que não são verdadeiras sobre a vacinação de sarampo e poliomielite”, revelou o ministro.
“Fake news sobre o tema Saúde matam e a cooperação com o Estado vai fortalecer esse trabalho de impedir que as pessoas sejam desinformadas”, afirmou Pigatto. É papel do Conselho, segundo o presidente, combater as falsas notícias que são divulgadas nas redes.
Por fim, Paulo Pimenta destacou que o campo da Saúde é sensível e é necessário atacar discursos falsos, em especial porque as plataformas de “caça-cliques” se valem dessas informações para atrair leitores. “Esses sites devem ser penalizados ao divulgar fake news, pois os espaços na sociedade para propagação devem ser de informações e notícias, não de mentiras. A partir de hoje, seremos uma rede que divulga apenas a verdade”.
ZÉ GOTINHA — Ainda na pauta do encontro, foi discutida a relevância e o significado do “Zé Gotinha” nas campanhas nacionais de vacinação. “O Zé Gotinha precisa voltar a ser um personagem fortalecido. O Zé Gotinha voltou com tudo!”, afirmou Pigatto, referindo-se ao famoso mascote da vacinação infantil. O ministro Paulo Pimenta complementou, afirmando que um dos papeis da Secom é somar forças e contribuir para o fortalecimento e ampliação desse trabalho. Foto: LF Barcelos (Ascom CNS)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *