manifestação contra arquivamento caso rosinha guerreira na camara de vereadores de linhares
Política

Manifestação contra arquivamento caso “Rosinha Guerreira”

Uma nova CPI foi formada  pelos Vereadores: Edmar Vitorazzi – PSC (presidente); Carlos Almeida – PDT (Relator) e Marcelo Pessoti – PPS (membro).

A última segunda-feira (08/04), foi marcada por manifestações  na Câmara Municipal de Vereadores de Linhares contrários  ao arquivamento de um processo que poderia terminar com a cassação da vereadora Rosinha, acusada pelo Ministério Publico de pratica de Rachid.

Na Sessão  foi apresentada nova denúncia de práticas de improbidade administrativa envolvendo a vereadora Rosa Ivânia Euzébio dos Santos, “ Rosinha Guerreira” (DC). A denúncia foi apresentada pelos vereadores Ricardinho da Farmácia (SD), Tobias Cometti (DC) e Gelson Suave (PSC). Os três vereadores faziam parte de uma CPI, que foi instalada a mais de noventa dias atrás e o processo acabou sendo arquivado, pois os membros da Comissão alegaram que o período de 90 dias não foi suficiente para concluir as investigações. Os mesmos vereadores, no entanto, apresentaram uma nova denúncia contra a vereadora, tendo sido recebida por unanimidade pelo Plenário. Antes de ser aprovada pelos vereadores, foi rejeitada uma denúncia apresentada por pelo cidadão, Jonas Sopranni.  O presidente da Câmara, Ricardo Bonomo “ Ricardinho da Farmácia” em entrevista concedida a TV Gazeta Norte, alegou que a denúncia, apresentada por Sopranni, faltou robustez. Com o acolhimento da denúncia conta Rosinha Guerreira, uma nova comissão foi instalada para apurar os fatos contidos na denúncia.

Segundo o presidente da Câmara de Linhares, Ricardinho da Farmácia, a matéria em si é de interesse tanto do Legislativo quanto da população em geral.

O vereador Ricardinho da Farmácia durante entrevista à emissora de TV Gazeta Norte disse que:  “A nova denúncia é de total interesse dessa Casa de Leis. Nós também sabemos do desejo da sociedade de Linhares por uma resposta.  A primeira comissão fez um excelente trabalho de apuração, mas não tivemos tempo hábil para concluir pela complexidade do caso e a quantidade de elementos contidos nessa investigação. Esse caso corre há mais de um ano na justiça e em 90 dias chegar a uma conclusão seria precipitado. Eu acredito que a nova comissão tem material suficiente para agilizar a investigação e concluir esse caso com agilidade e o cuidado que o assunto merece”, afirmou Ricardinho.

A Comissão tem como objetivo analisar a exposição dos fatos e as provas indicadas na denúncia, devendo o processo ser em até 90 dias, contados da notificação da denunciada.

Com a conclusão dos trabalhos da Comissão Processante, o Plenário da Câmara Municipal de Linhares deverá deliberar sobre o parecer final da referida Comissão, o qual poderá opinar pela cassação do mandato da vereadora denunciada ou pelo arquivamento da denúncia.

Para a cassação do mandato da vereadora e o seu afastamento definitivo do cargo será necessário o voto de pelo menos dois terços dos membros da Câmara Municipal, conforme inciso VI do art. 5° do Decreto-lei 201/1967.

Procurado pela imprensa, o advogado de Rosinha, Hélio Maldonado, disse que, primeiro irá tomar conhecimento das denúncias para posteriormente tomar as medidas necessárias. Com informações de Norte Notícia.

Dobre seu capital em 30 Dias!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *