Polícia

VÍDEOS FORTES – China usa aborto e esterilização contra muçulmanos em Xinjiang e campos de concentração

A perseguição comunista contra a minoria muçulmana uigur na China já é bastante conhecida.

A China está utilizando abortos e métodos de controle de natalidade forçados para diminuir a população da minoria muçulmana uigur na província de Xinjiang.

As informações, que estão presentes em estudo do pesquisador Adrian Zenz, da Alemanha, com dados do regime comunista chinês, foram publicadas em reportagem da Associated Press nesta segunda-feira (29). (Continua).

 

 Para impedir que as mulheres uigures ultrapassarem de cota imposta por Pequim, as autoridades chinesas as coagem para que se submetam a cirurgias de esterilização.

As mulheres também sofrem com ameaças de internação forçada em campos de reeducação se não quiserem abortar.

Até mesmo as mulheres muçulmanas que têm menos de dois filhos são forçadas a inserir um DIU (Dispositivo Intrauterino) para não engravidarem. Algumas, depois de sair da China, descobrem que estão estéreis.

  *Globo assina com gigante de Comunicação da China – daqui não sairá críticas e nem denúncias para se fazer justiça e liberdade para os povos sob domínio. Não confundam o PCC (Partido Comunista Chinês) com o povo chinês, vítima de uma ditadura de 70 anos e que quer dominar o mundo. (veja foto abaixo com matéria do jornal de extrema-esquerda Folha de São Paulo).

 

E nem daqui (Band)  sairá denuncias ou críticas que ajude a libertação dos povos. Do site da própria Band. Ou seja, Globo e Band não são veículos mais de confiança em suas notícias.

Cinco vídeos abaixo. * Pautado no Artigo Quinto da Constiuição Federal – O ministro Alexandre de Moares está na área e é o dono do pedaço agora. Todo o cuidado é pouco até passar essa fase. Mas se depender do Senado, estamos ferrados, a maioria dos senadores nem ousam abrir a boca. Porque Será? Hummmmmm….. O STF atual é uma vergonha para a maioria dos brasileiros.  Com informações de Renova Mídia.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *