Polícia

Polícia suspeita que milícia do Rio alimentava porcos com cadáveres

 

Sítio usado por milícia de Duque de Caxias tem criação de porcos e é cercado por armadilhas com fios e rojões para impedir entrada

A Polícia Civil do Rio de Janeiro identificou um sítio usado por milicianos de Duque de Caxias (RJ) que pode ter sido usado para ocultação de cadáveres. Os investigadores suspeitam que porcos encontrados no imóvel foram alimentados com restos mortais de vítimas do grupo criminoso.

  O sítio fica localizado em Rio Bonito, cidade na região metropolitana do Rio de Janeiro. Os policiais fizeram uma operação nesta quinta-feira (18/1) e prenderam duas pessoas, o caseiro e o segurança do sítio.

De acordo com informações da polícia repassadas para o G1 Região dos Lagos, o sítio estava rodeado de armadilhas, como fios esticados e rojões apontados para quem tentasse entrar na área usada pela milícia.

A criação de porcos no sítio chamou atenção dos investigadores, já que estavam com peso visível para abate, mas eram mantidos na propriedade. A suspeita é de uso dos animais para ocultação de cadáveres.

Os policiais apreenderam duas pistolas e uma granada, que estavam com o caseiro e o segurança. Também foram apreendidas munições, roupas camufladas e coletes. A operação faz parte de uma investigação sobre dois homicídios cometidos pelo grupo em Rio Seco, bairro de Rio Bonito.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *