Polícia

BOMBA – Suspeita de bomba na Esplanada dos Ministérios; perigo de guerra entre EUA e China, mais 11 vídeos

* Vídeos no final. Radar Geral é para quem gosta de leitura, pessoas cultas ou que querem ser bem informadas.

  O trânsito foi interrompido na Esplanada dos Ministérios. Mochila foi abandonada na região.

Uma mochila abandonada nos arredores dos Ministérios da Defesa e da Educação, em Brasília, levantou suspeitas e interditou os arredores da Esplanada dos Ministérios.

O objeto foi localizado por um funcionário após manifestações desta quarta-feira (20). Ele levantou a suspeita de ser um artefato explosivo.

O esquadrão antibomba foi acionado e retirou a mochila suspeita do local, destaca o portal R7. (Continua).

 Várias viaturas da Polícia Militar foram acionadas e o trânsito na Esplanada dos Ministérios foi interditado durante toda a operação.

Um robô do Bope (Batalhão de Operações Policiais Especiais) e do esquadrão antibomba continua analisando o material.

O trânsito foi interrompido no local. No entanto, apesar da situação, os prédios ainda não foram evacuados. (Continua).

 

PERIGO REAL: Mar do Sul da China vira palco de embate entre EUA e China

 

O discurso defensivo de Xi Jinping à Organização Mundial da Saúde (OMS), seguido pelas renovadas críticas do presidente Donald Trump ao órgão, dão pistas sobre os próximos passos de uma espécie de Guerra Fria vivida entre China e Estados Unidos.

A pandemia de coronavírus intensificou as tensões entre os países e reflexos estão sendo vistos em diversos locais importantes do planeta. (Continua).

 

Nesta quarta-feira (20), os EUA anunciaram¹ ter feito um exercício militar de 32 horas com quatro bombardeiros supersônicos B-1B sobre o Mar do Sul da China, uma área que Pequim considera sua, mas que é disputada por várias nações asiáticas.

Desde que a Covid-19 tornou-se uma pandemia, há um jogo de guerra entre os EUA e seus principais rivais para demonstrar prontidão militar.

Rússia, China, Coreia do Norte e até mesmo o regime islâmico do Irã exercitaram sua musculatura militar com testes de armas, exercícios navais e inúmeras simulações de combate após o vírus se proliferar pelo planeta.

 

São Paulo não mudará uso da cloroquina, diz Doria

 “Nós não faremos a distribuição e nem aplicação generalizada da cloroquina”, diz Doria.

João Doria, governador de São Paulo, afirmou, nesta quarta-feira (20), que não haverá mudanças sobre a administração de cloroquina para pacientes de coronavírus no Estado.

 A declaração de Doria acontece diante do novo protocolo sobre o medicamento adotado no início do dia pelo Ministério da Saúde. (Continua).

  Em coletiva de imprensa, o governador de SP declarou¹:

“Nós não faremos a distribuição e nem aplicação generalizada da cloroquina, porque a ciência não recomenda. A ciência não orienta este procedimento e em São Paulo nós seguimos o que a ciência.”

O secretário estadual da Saúde, José Henrique Germann, ressaltou que o uso da cloroquina ainda é condicionado à aceitação do paciente ao tratamento:

“Tem que existir o consentimento informado por escrito do paciente. Ou seja, é uma indicação do médico com o consentimento do paciente.”

A declaração do secretário está de acordo com o protocolo divulgado pelo governo federal.

O médico terá liberdade para o uso, e os pacientes que aceitarem fazer o tratamento com a cloroquina terão que assinar² um termo de consentimento.

 

 

Bolsonaro apelida Doria de ‘tranca-rua’

“Eu nunca provoquei governador. Tem um do Sudeste que está o tempo todo provocando”, diz Bolsonaro.

 O presidente da República, Jair Bolsonaro, criticou os governos estaduais que não seguiram decreto assinado por ele aumentando a lista de atividades essenciais durante a pandemia de coronavírus.

Em live com o jornalista Magno Martins, nesta terça-feira (19), Bolsonaro disse que gestores estaduais não podem agir como ditadores não cumprindo os decretos presidenciais.

  O chefe do Executivo enfatizou que caso não concordem com a reabertura de salões de beleza e academias de ginástica, os governadores devem recorrer ao Legislativo ou ao Judiciário para alterar a medida.

“Agora, quando fala que não vai cumprir, está agindo como ditador”, ressaltou¹ Bolsonaro.

Referindo-se ao governador João Doria (PSDB), de São Paulo, o mandatário acrescentou:

“Eu nunca provoquei governador. Tem um do Sudeste que está o tempo todo provocando e falando abobrinha. É o tranca-rua. O estado dele está com problemas.”

Bolsonaro também criticou o médico David Uip, que está à frente do combate à pandemia em São Paulo.

Uip foi infectado pela Covid-19 e não quis declarar como se curou. Ao citar a decisão do médico, Bolsonaro questionou²:

“O David Uip se negou a dizer o que tomou… Meu Deus do céu! O Donald Trump falou ontem que está tomando de forma preventiva até. O avião está caindo e tem os paraquedas que não foram testados pelo Inmetro. E daí? Você vai dizer que o paraquedas não foi testado ou vai usar?”. Fonte: Renova Mídia.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *