Geral

VÍDEO PÉSSIMA NOTÍCIA, OREMOS – Ditador Xi Jinping pediu ao exército chinês para se preparar para a guerra com EUA e outros países

 O presidente chinês Xi Jinping inspecionou na terça-feira o Corpo de Fuzileiros Navais do Exército de Libertação do Povo (PLA) em Chaozhou, destacando a necessidade de transformá-lo em uma tropa de elite, com sua mente voltada para um possível conflito armado.

O líder do regime proferiu um importante discurso após o briefing, no qual destacou a necessidade de fortalecer o desenho estratégico para a construção do Corpo de Fuzileiros Navais.

O Corpo de Fuzileiros Navais “deve se concentrar na prontidão para a guerra” e nas capacidades de combate, e manter um alto nível de prontidão , disse Xi, acrescentando que a força deve se limitar ao treinamento voltado para o combate e fortalecer o treinamento voltado para a missão. adaptados às necessidades específicas.

 O desenho estratégico “deve se adequar ao desenvolvimento nacional do país, às estratégias militares e de segurança”, aos acordos militares e estratégicos de defesa nacional modernizados, bem como à construção de sistemas de operações conjuntas e transformação da marinha, disse Xi. Ele também destacou a importância das inovações nas teorias de combate , modos de treinamento e formações de força-tarefa para melhorar o treinamento militar e as capacidades de combate.

Além disso, destacou a defesa da liderança absoluta do Partido sobre as Forças Armadas, garantindo que os militares devem ser “absolutamente leais, absolutamente puros e absolutamente confiáveis” .

 Xi pediu esforços redobrados para avançar na transformação da força e melhorar suas capacidades de combate para formar uma tropa poderosa , com soldados que são sábios na batalha, integrados e versáteis na operação, rápidos em responder e capazes de lutar em condições multidimensionais.

Há apenas algumas semanas, na Assembleia Geral da ONU, Xi pediu a redução das tensões com os EUA. “A mentalidade da Guerra Fria, as linhas ideológicas ou os jogos em que ninguém ganha não são uma solução para os problemas de um país e muito menos uma resposta aos desafios conjuntos da humanidade”, expressou na sua intervenção em vídeo. (Continua após anúncio).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *