preto píres, arte linharense
Geral

Preto Píres, um fenômeno regional que une talento e arte pura

O artista é um dos mais talentosos da nova geração de músicos de Linhares.

Atualmente Preto Pires participa do Festival Nacional de bandas de Garagem em Linhares/ES tendo o título de vídeo de maior visualização com a música autoral Dona Preta em homenagem a moqueca capixaba.

Nascido em Linhares no ano de 1983, Luiz Carlos Pires torna-se em 1990 morador no balneário de Pontal do Ipiranga. É nessa época que o chamado (grito) de sua mãe, que era ouvido ao longe por todos os moradores que ali aos poucos chegavam, intitulou o menino nativo em um gesto carinhoso de Preto.

Preto Pires foi revelação no Festival Nacional de Forró em Itaúnas (FENFIT) no ano de 2004, participou também em 2006 e em 2010 quando foi finalista e concorreu ao prêmio de melhor letra. No ano de 2005, foi vencedor do Linhares Music Festival com a música Dom e no mesmo ano conquistou o 3º lugar na competição universitária da  Unilinhares com a música flor da janela, faculdade onde cursou psicologia por 3 períodos.

No ano de 2017, Preto Pires conquistou o 4º lugar com a banda Cambada de Preto no festival de carne de sol na cidade de Montanha/ES.

Iniciou na música aos 17 anos com o violão empoeirado de cordas velhas e enferrujadas do meu pai (Mateus) que ficava pendurado na parede da sala aguardando o dia da tão sonhada serenata, uma promessa romântica que ele fez de aprender a tocar a música Meiga Senhorita de Zé Geraldo para sua mãe (Dalva).

Gravou em 2014 seu primeiro CD com seu amigo percussionista Tom Lopes. O disco possui 100% de músicas autorais do artista incluindo o seu sucesso “fotinha na praia”.

O artista é reconhecido por seu carisma, diversão e por sua diversidade musical, compondo músicas dentro de diversos segmentos rítmicos e culturais.

“Gosto de manifestações culturais, de variedade rítmica musical. Acredito que seja esse “jeitinho” brasileiro que me leve a cantar em uma vertente de ritmos variados. Além das musicas da atualidade e outras canções de entretenimento, gosto das musicas do manifesto do axé music da década de 90, do forró em suas tradições nordestinas e do movimento afro samba reggae da Bahia. Esses são meus berços musicais. Me contagiam! Suas histórias, ritmos, harmonias e cultura me trazem entusiasmo e admiração”, avalia ele.

A paixão do artista pelo balneário do Pontal do Ipiranga, onde chegou aos 7 anos, inspirou o artista em suas composições e a ser o idealizador e organizador do evento luau elétrico que já vai para sua 6ª temporada no ano de 2019.

Dobre seu capital em 30 Dias!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *