Geral

Em Linhares (ES) – projeto social se destaca em ajudar jovens em risco social

 

   O projeto social Oficina da Cultura iniciou em 2015 com uma iniciativa da professora Eva Pereira dos Santos Alves, Nágila  Dos Santos Alves e seu Pedro Mendes presidente da Associação de Moradores do Bairro Interlagos 1 (in-memorian), em Linhares, no Norte Capixaba.

 Fazem parte do grupo de apoio Matheus Repiso, Kaliandra Rocha, Bianca Barreto,  Bruno Ribeiro  e  Caik Marrom.  O projeto ganhou tanto destaque que é considerado uma referência nacional.

 Segundo Nágla, “o projeto  nasceu pela necessidade de incluir políticas públicas por meio de ações culturais para crianças e adolescentes em vulnerabilidade social após uma pesquisa do Instituto Jones Santos Neves e Secretaria de Direitos Humanos do Estado”.

 De acordo com Nágila, “buscamos  promover ações em prol dos atendidos –  crianças, adolescentes e  jovens  em  vulnerabilidade social, despertando as suas potencialidades crítica e artística, enquadrando-os no contexto sócio-econômico-político e cultural, para que sejam protagonistas de mudanças significativas e duradouras em suas próprias vidas”.

 “O público-alvo são crianças e adolescentes que se encontram nas ruas do bairro. Essas crianças pertencem a um grupo de risco na comunidade pois estão sem nenhuma atividade durante o contra turno escolar e, principalmente, no  final de semana e sabemos do perigo quando são abordadas por pessoas com intenções ruins”, acrescenta.

As oficinas abordadas são: teatro, dança, hip hop, poesia, rap, dança urbana, grafite e pintura de rosto. Conforme Nágila, “o bairro Interlagos onde é realizado o projeto é considerado um dos maios violentos do estado, segundo informações de pesquisas feitas pelo Instituto Jones Santos Neves (IJSN) em parceria com a Secretaria de Direitos Humanos do Espírito Santo”.

“Nosso projeto oferta para comunidade e escolas do bairro ações internas e externas como em praças públicas, workshops e apresentações de todas as oficinas que são administradas dentro do equipamento público do Centro de Referência e Assistência Social (CRAS)  do Interlagos. Fazemos ocupação também de espaços públicos abertos. Fazemos inter bairros, onde temos a oportunidade de entrar em outros bairros e levar nossa arte para outras crianças e ser exemplo para outros profissionais da cultura. As oficinas artísticas auxiliam na inclusão social e diminuição da violência no bairro Interlagos. “, acentua.

 A equipe fixa do Oficina da Cultura e formada por 8 pessoas. Excepcionalmente contrata outros profissionais para auxiliar em alguns eventos externo e aulas diferenciadas. (Continua).

 

 

 Para que o público tome conhecimento de suas atividades, os organizadores fazem  divulgação pelas redes sociais do projeto . “As artes digitais serão também divulgadas nos perfis dos representantes do projeto. Iremos divulgar na Associação de moradores do bairro e escolas municipais. Investiremos em engajamento pago (Instagram e Face book), para que o alcance seja ainda maior nas regiões próximas ao bairro Interlagos”, garante Nágila.

 (Continua).

 

 

  A arte na  Base Nacional Comum Curricular (BNCC), conforme ainda  a voluntária, “propõe o desenvolvimento de habilidades e competências importantes para as práticas investigativas e para o percurso do fazer artístico, para perceber o mundo em sua complexidade, contextualizar saberes e a interação com a arte e a cultura, além de favorecer o respeito às diferenças e o diálogo intercultural”.

A BNCC  está centrada nas seguintes Linguagens: artes visuais, dança, música e teatro.

 “Estruturamos nossas oficinas para atender ao currículo com cinco unidades temáticas  – artes visuais, dança, música, teatro e artes integradas. Nosso papel é levar cultura arte e lazer para o bairro Interlagos”, concluiu Nágila.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *