Economia

ESTATAIS – de um prejuízo de R$ 32 bilhões durante mandato do PT para um lucro de R$ 187,7 bilhões

  

  As estatais brasileiras registraram um prejuízo de R$ 32 bilhões em 2015 sob o governo da petista Dilma Rousseff. (Compartilhe essa notícia para que mais pessoas saibam).

 Um dos principais responsáveis por esse resultado negativo foi a política de controle de preços, que começou no governo de Luiz Inácio Lula da Silva, mas que se acentuou durante a gestão da petista, conforme artigo publicado no jornal Valor Econômico, na sexta-feira 29.

No ano passado, o resultado obtido pelas empresas controladas pela União, sob o governo Bolsonaro, foi de um lucro líquido de R$ 187,7 bilhões. Encerrou-se, assim, o ciclo dos megaprejuízos de estatais liderados por Petrobras, Eletrobras, Correios e Infraero.

Com o lucro de 2021, que representou o triplo do valor apurado no exercício anterior, 2020, correspondente a R$ 60 bilhões, as empresas estatais federais pagaram a título de dividendos aos acionistas e juros sobre capital próprio a quantia de R$ 101 bilhões. Especificamente para a União foram pagos R$ 43 bilhões.

Resultados positivos

A Petrobras teve resultado líquido de pouco mais de R$ 107 bilhões, responsável por 57% do lucro geral das empresas federais. Em seguida vem o setor financeiro estatal com o BNDES, lucro de R$ 34 bilhões, equivalente a 18%; Banco do Brasil, quase R$ 20 bilhões, equivalente a 10%; Caixa com R$ 17 bilhões, em torno de 9%; e Eletrobras, R$ 5,7 bilhões, ou 3%.

Somadas, essas companhias responderam por cerca de 98% do resultado líquido final das estatais federais. São 47 grupos de empresas que, com as suas subsidiárias, totalizam 134 companhias.

Petrobras: anos no vermelho

Foi o controle de preços dos combustíveis e investimentos de péssimo retorno que acarretaram o prejuízo da Petrobras nos anos de 2014/2015.

A companhia chegou a ter uma fábrica de tecidos sintéticos ao lado do empreendimento do porto de Suape, em Pernambuco. Ambos deram um “rombo” de cerca de R$ 10 bilhões na estatal.

Ao anunciar o resultado líquido das empresas estatais federais em 1º de julho, o ministro da Economia, Paulo Guedes, lembrou que as empresas que antes haviam dado um prejuízo agora podiam comemorar um resultado positivo. Afinal tratou-se de uma virada de quase R$ 220 bilhões.

Segundo o planalto, isso só ocorreu porque trata-se com seriedade a gestão dessas companhias, que foram vítimas de corrupção em governos anteriores, como o inesquecível “Petrolão”.

Além de pagar dividendos ao governo federal e aos demais acionistas das empresas, o sucesso da gestão econômica proporciona importantes benefícios, como o aumento da arrecadação, a redução de riscos fiscais e a valorização do patrimônio estatal.

Créditos: Revista Oeste. Foto: Fernando Frazão/Agência Brazil.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *